dezembro 18, 2008

Mistureba: Desabafo, com pitadas de arrependimento, e algumas lições. "[RESTROSPECTIVA 2008]"

Parece que eu vou explodir. Juro. É tanta coisa pra falar, tanta coisa pra expor, que preciso fazer isso urgente, antes que tudo fermente dentro de mim. Primeiro venho dizer que, sim, eu disse que só ia postar em 2009, mas nada como um banho de madrugada e silêncio pra colocar as idéias no lugar. E foi nesse banho que eu percebi, como eu errei nesse 2008. Errei sim, e muito. Mas o banho me trouxe não só erros de 2008 não, mas de 2007, 2006, e o caralho a quatro. Como eu errei, e me arrependi esse ano. Daria um livro! Considero hipócrita aquele que diz "Nunca me arrependo", ou "Só me arrependo do que eu não fiz", eu digo a esses "Vai dar o cu pra quem tem tempo!", isso NÃO EXISTE, aposto minha vida que não exista um ser em sã consciência que nunca, nunquinha, tenha se arrependido. Eu falo, e não nego, SIM, eu me arrependi de muita coisa que eu fiz nessa vida, como diz aquela música do Kid Abelha "Sou errada, sou errante, sempre na estrada, sempre distante, vou errando enquanto o tempo me deixar". É. Quantas bocas beijadas a toa. Sem sentimento, sem coração. Quantas horas perdidas com futilidades. Quanta dedicação com pessoas que não valiam/valem nada. Quantas palavras jogadas fora, que machucaram alguém, ou que maltrataram alguém que na verdade, é do seu jeito e ponto. Quem sou eu pra julgar alguém? Quanta falta de respeito. Quanta reclamação.Quanta mentira.Quanto pisar em quem, na verdade, não merece de modo algum. Quantas brigas a toa, e quantos minutos dedicados a besteiras. E graças a Deus que " tudo o que passa pela minha cabeça fica nela" .Porém eu digo, não sou só feita de erros. Eu acerto também, ou pelo menos tento, o que para mim é válido. Porém aos meus olhos, meu erros, saltam tanto, que o sentimento que agora mais sobra em mim, é o arrependimento. E eu confesso a todos vocês, EU ME ARREPENDO. MAS PROMETO, PRETENDO MELHORAR, e para mim "O primeiro passo pra mudança é admitir seu erro", mas sabem, acho que parte de tudo isso se deveu a fase que passo nesse 2008. Esse 2008 para mim, é um ano de puro amadurecimento, dia após dia. Minuto após minuto. Tem sido um sacrilégio. Acho que o pior castigo, e o maior benefício que uma pessoa tem em sua vida é amadurecer. Dói, sabem. Pelo menos no meu caso. Mas acredito que é assim, só assim que se aprende muito também. Como diria aquela famosa e linda música " Devia ter aceitado as pessoas como elas são ", ou " Devia ter complicado menos, até chorado menos ", e como ainda tenho 19 anos o tempo é esse. Porque não dar tudo de mim para melhoria? Creio que os que leem, não entendam muito bem, qual é a minha, ou o meu desabafo, e sabe, se eu fosse você também não entenderia. Só leve em conta que este sentimento que eu tento escrever, é o que passa dentro de mim. Vou tentar ser mais útil para alguém nesse 2009, tentar respeitar mais, reclamar menos. E essa não é uma promessa de " fim de ano pro ano novo ", essa é uma promessa de quem cai na real. E eu te digo, tentar. Pois acredito que sou uma pessoa inacabada, que ainda vai ser muito lapidada, e que ainda vai sofrer muito. Mas acredito também que o melhor de mim é EU ser EU na prática e na teoria, e se fosse acha diferente disso, com todo o respeito, eu não me importo. Urgente: Babys, eu disse a vocês que só postaria em 2009 mas não consegui. Precisava descarregar tudo isso. Obrigada quem acompanha sempre meu blogger, fico muito feliz com tudo isso. Agora sim, só volto em 2009, com visual novo, e novas inspirações, e se Deus quiser, uma T mais centrada, e correta. Feliz Natal, e um Ano Novo maravilhoso, de coração. BEIJO!

dezembro 06, 2008

Vicky Cristina Barcelona

Sempre fui muito crítica com filmes. Quase sempre chegava até a enjoar as minhas amigas com a minha tradicional frase quando o filme acabava " Que bosta de filme, não gostei ". Poucos filmes me agradam, e estranho, sempre foi assim. Filmes que não agradam ninguém (como " O Labirinto de Fauno "), me deixam extasiada. Filmes que agradam a todos (como PS: I love u), me enjoam. Mas no geral, adoro filmes infantis, de ficção, romance e blá blá blá, mas entre esses estilos, todos aqueles que ninguém ninguém gosta, é comigo mesmo. Assisto uma, duas, três, milhões de vezes. Decoro as músicas, as falas e tal. Adoro. (Agora por favor, não me peça pra ver comigo um filme de drama, ao menos que queira me ver absolutamente estressada). O fato foi que dia desses, fui ao cinema com uma amiga muito querida, era de tarde, e com poucas opções escolhemos assistir o tal filme intitulado " Vicky Cristina Barcelona ". A surpresa não foi alguma quando o filme acabou e eu disse " que merda de filme, péssimo, não gostei ", porém essas mesmas palavras saíram da boca da minha amiga, a qual, vale a pena ressaltar, ama qualquer filme. Por Deus, e só por ele, ao meu ver, é um filme péssimo. Péssima trilha sonora, péssimas falas, péssima história sem algum objetivo. Resumindo pra vocês: Duas amigas vão pra Barcelona, a morena que está prestes a casar transa com o garanhão do filme, a loira transa com ele também depois de um tempo, e vai morar com ele, nessa a ex do garanhão aparece e eles vivem a três, transando e sendo feliz. A loira resolve voltar pra casa, e então ela e a morena voltam pra casa. FIM. ISSO MESMO. FIM. Por favor, eu escreveria um filme dez vezes melhor que esse nem que fosse com a mesma história, mas sabe, ninguém me pagaria milhões! Ninguém me pagaria um real se quer saber! A melhor coisa do filme, são as pessoas, tanto a loira, quanto a morena ou o garanhão são pessoas lindas demais. Agora se você não é como eu, assista esse filme. Você vai adorar. PS: SÓ VOLTO EM 2009, ENTÃO BABYS, tudo de bom pra vocês nesse Natal, e nessa virada de ano. Beiiiiijos!

novembro 27, 2008

eu não me importei,

se eu devia estar com raiva dele. Se a coisa certa a fazer naquela hora era manda - lo embora, e nunca mais aparecer.Quando eu vi aquele sorriso, eu me inclinei para ele, e nossos olhos nos encontraram, coloquei a mão em seus braços e me puxei para perto dele, deitei a cabeça em seu ombro e senti o seu cheiro, isso sempre me confortou. As suas mãos enlaçaram minha cintura, e ele me segurou contra o seu peito, pude ouvir seu coração. Minha boca procurou a dele, mas encontrou o seu queixo, então ele abaixou a cabeça e me beijou suavemente. Depois gargalhou. - Eu estava todo preocupado com a nossa briga, e é isso que eu ganho? Eu deveria te deixar furiosa mais vezes.

novembro 23, 2008

Querida Pâmella,

como eu te prometi no nosso último encontro (lembrando: no qual você me deu um pé na bunda), estou te escrevendo. Por aqui está tudo certo. Ontem recebi uma notícia que vai me deixar muito bem no, pelo menos, próximo um ano. Fui promovido! Sim! Subi pra cargo de gerente! Meu salário triplicou, mudei de sala, e com isso troquei de carro. Lembra de como eu reclamava pra você né? De que não me davam o devido valor na empresa e tal? Pois é...Ontem o Carlos (se você não lembra quem é Carlos - porque você nunca prestava atenção quando eu falava de trabalho - Carlos é o diretor da empresa) me chamou e me disse que pelo que ele pode analisar dos funcionários, eu não sou só o melhor, mas também o que dá mais o sangue pela empresa e me promoveu! Meu carro chega amanhã. E você deve estar se perguntando " E aonde ele vai guardar o carro uma vez que na casa que ele mora mal tem espaço para um sofá? ", e eu te respondo amor meu, eu mudei de casa também. Aluguei um apartamento e ele me fornece por falta de uma vaga na garagem, duas vagas na garagem! Problema resolvido! Falando sobre o clima, aqui está muito frio, mas isso não é problema, sai de férias há uma semana e estou indo conhecer o Hawaii. Lembra que eu te falava que meu sonho era ir para lá? (Aliás nossa suposta lua-de-mel seria lá, se lembra?). Então, estou com a passagem em mãos e estou indo visitar a incrível ilha, curtir um sol, e ficar a tarde toda na praia, tomando uma água-de-coco. Quem sabe eu não aprenda a surfar não é mesmo? Sobre minha vida amorosa, tenho conseguido te esquecer, (te juro que por causa do chifre que você me colocou e do pé na bunda que EU tomei - não seria você que deveria tomar? Enfim... - achei que seria mais fácil), mas meus avanços estão muito crescentes. Joguei todas aquelas porcarias que você me deu, que decoravam meu quarto, e comprei alguns enfeites novos, quem colocou tudo no lugar para mim foi minha nova empregada, Márcia, e te digo: ela é bem gostosa. Falando sobre você, soube que você (também) tomou um pé na bunda né? Doeu Pâ? Olha, liga não viu, essas coisas acontecem. Bem vou terminando por aqui, e sabe pequena, depois desses três anos que a gente passou junto e esses recém acontecimentos, eu pude concluir uma coisa que eu vou levar por toda minha existência: Pâmella, você empacava minha vida. Beijos e Fica bem, meu eteeeeeeerno amor.

novembro 18, 2008

Forget me, mababe.

Bastou ele perguntar - lhe as horas para ela se apaixonar. Não foi somente o sotaque dele, mas sim o modo todo de como ele falava. Falava baixo, calmo, educado. Era envolvente. Parecia que ela poderia ficar horas escutando aquela pergunta " Por favor, que horas são? ", ou escutando aquela risada meio baixa e meio tímida ao ve - la simplismente se confundir com os ponteiros. Depois das horas, veio um café, e dentre o café muita conversa. Então veio a terça - feira, a quarta, a quinta, e então o tão esperado telefonema. A coisa foi rolando naturalmente, e era bonito o modo como se encaixavam um no outro tão bem. A química quando estavam juntos era palpável, dessas que qualquer casal mesmo que extremamente apaixonado inveja. Passaram então muitas mais sextas - feiras, que se transformaram em meses e ela sentia que aquilo era a coisa mais especial que acontecia na vida dela. Sentia - se completa. Foi quando, ele disse que iria viajar a trabalho, mas desta vez, ela não poderia ir junto. Ela entendeu. A chateação, ela deixou pra lá, não iria estragar lindos meses com frescuras. Quando ele voltou, ela a esperava anciosa, e cheia de saudade, o amor transbordando no peito. Foi quando ele contou - lhe que tinha perguntado as horas a outra moça. E que " me desculpe, mas estou te deixando ". Simples assim. Frio assim. E sabe, coisas assim, acontecem todo dia. Ps: Respondendo a um comentário: NÃO, eu não espero que encha os comentários para postar, eu posto quando eu me inspiro.

novembro 16, 2008

Tenho estado estranha. Sem paciência. Amando e desamando. Me arrependendo e me desarrependendo. Minha taxa de tolerência está abaixo do zero, e tenho sido grossa com quem não preciso ser (ou preciso?). Tenho medo dessa inconstância porque não sei ao certo quem eu sou, o que sou. Sei detalhes. Sei que sou sincera. Sei que sou feliz. Mas, é só isso. É bem isso, se é que me entende. " Tempos difícies nos mostram quem realmente somos, muito mais que nossas qualidades ". É? É.

novembro 12, 2008

I promise

Olhe pra mim, respire. Coloque a mão na minha cintura e siga meus movimentos. Feche os olhos, sinta o vento. Eu prometo à você, não somente o céu, nem somente o mar, prometo à você dias mais ensolarados, e noites mais quentes. Te prometo que não haverá próximo. E te prometo que será a pessoa mais feliz do mundo. Sinta esse vento. Una - o com essa música. E o que você me promete? Não. Não me diga. Fique em silêncio. Hoje é minha vez. Você me dá essa honra? Me deixa te fazer feliz? Vai ficar tudo bem, não se assuste. Quando houver um obstáculo, serei sua escada. Quando houver uma barreira, derrubaremos. Juntos! Sempre juntos. Porque juntos não há medo, não há solidão.Vou pegar na sua mão. Sente meu coração? Ele está batendo rápido. Muito rápido. É você. É esse amor. Um amor que ultrapassa altas montanhas, e oceanos profundos.Você me dá essa honra? De te fazer feliz? Ps: Dedicado à Rodrigo Martim, meu namorado há quase 2 anos. Ps: Inspirado em " Can I have this dance? " Ps: Ganhei mais um meme pra responder, sendo assim, devo - lhes 2 memes, e uns 5 selos. Em breve babys, em breve. (Mentira)

novembro 06, 2008

So real.

No dia - a - dia a gente percebe o quanto as pessoas são diferentes. O que me agrada, você repudia, e vice - versa. Contudo não odeio ninguém. Não quero que ninguém morra, ou seja infeliz. Quero somente que entendam que são insignificantes para mim e me deixem em paz, e deixe minha família em paz, e deixe meu namorado em paz. Mas existem coisas que com o perdão da palavra, PUTA QUE O PARIU, eu não consigo engolir. Injustiças, infantilidades, e algumas atitudes realmente não me passam na garganta. Um chefe injusto, um pai que só enxerga o que quer, um namorado que dá mancada e por aí vai. Não sou perfeita, erro muito. Aliás VIVO ERRANDO, mas pelo menos TENTO acertar. O problema é que o ser humano é um ser egoísta, que só pensa no próprio cu, e quer que os outros se explodam. Nem todos, mas a maioria. Não sei. É coisa da nossa raça, homo sapiens. As vezes me pergunto se não seria melhor ter nascido macaco, rs. Natureza, bananas, brincadeiras, rs. Tá, exagerei. Mas pelo menos, eles não tem TANTA noção (porque eu sei que um pouco pelo menos eles tem) do que é o ser humano, e o quão mal ele pode deixar o outro, e o tanto que pode magoá - lo. Enfim, eu sigo, nessa vida que Deus me deu, errando e acertando, e confiando N'Ele que todas as injustiças um dia serão postas na balança e pesadas na vida de cada um.

novembro 02, 2008

Transição

Ele esperou ofegante e desesperado que ela terminasse de falar. - Não. Impossível. - Respondeu ele. - Por favor Joe. Te imploro. - Insistiu ela. - Mi, não. Me desculpe. Não. - Joe - interrompeu ela, e lágrimas brotaram dos olhos dos dois - por mim. Ele chorou, chacoalhou - a. - Por favor, Joe. - Disse ela ofegante. - Te juro. Te juro. Ela agradeceu. Colocou lentamente a mão boa na cabeça. Melado. E como doía. Seus olhos ardiam, a dor estridente cegava - a. Se viu criança. Sua mãe ensinando - a a dizer seu nome. "Mi", dizia a mãe e o bebê repetia "I", e havia risos. Num piscar de olhos ela tinha nove anos. Era a primeira briga feia dela e do seu irmão. Ele a batera. Ela foi até o quintal, pegara a vassoura, e quebrara na cabeça dele. Ele desmaiou. Hospital. Confusão. Choro. Arrependimento. Agora já tinha 23 anos, estava se formando. Linda. Vestido vermelho curto. Só ela usara curto na formatura. Conhecera - o. Joe, o garçom. Fumando em um canto. Encantara - se por aqueles olhos claros, e aquele sorriso de garoto. Seu primeiro cigarro. O primeiro de todos os outros. De repente tudo se materializou de novo. Lembrou de Joe, e do que havia lhe obrigado a prometer. Viu Joe que a segurava, chorava, e olhava constantemente para o celular (droga de âmbulancia atrasada dez minutos!), uma rua escura, tiros no vidro do carro importado. Mas a dor tinha sumido. Uma paz tomou conta dela, e a rua antes deserta e escura foi clareando, chegou a ficar tão clara que todas as cores pareciam mais vivas, tudo parecia exalar um cheiro doce e agradável, pessoas de branco e extremamente bonitas andavam de um lado para o outro sorrindo para ela. Sentiu - se leve. Passou a mão na cabeça. Não havia mais furo algum. " Se eu soubesse que morrer era tão bom, eu teria morrido antes " - pensou.

outubro 30, 2008

Pegue e leve contigo, tudo o que é ruim.

Por favor, eu te peço, que venha até aqui. Separei algumas coisas que são suas. Coloquei na sacola o maço de cigarro, o baralho e os perfumes acabados. Coloquei também a aliança e um pouco da minha esperança. Coloquei na sacola todo o meu coração, as minhas tristezas e angústias. Coloquei um pouco da chateação, mas somente um pouco, porque eu sei que parte dela ainda ficará comigo um bom tempo. Por favor, eu te peço, que venha até aqui. Pegue a sacola e a leve embora. O que vai fazer com ela você quem decide, mas eu não quero mais isso para mim. Eu quero ser feliz. Eu quero ficar bem. Eu quero poder compartilhar contigo as coisas boas, mas as ruins também. Leve junto com você todos os meus telefonemas não antendidos, todas as respostas de má educação, e todos os "eu te amo" não respondidos. Por favor venha até aqui, mas vá embora. Rápido. Não preciso ouvir mais nada, não preciso sentir mais nada. Eu e você é fogo e água. Somente um prevalece na relação. E eu, eu não quero isso para mim, não. Por favor, eu te peço, venha até aqui pela última vez e depois suma.

outubro 22, 2008

Eu disse que um dia, eu escreveria sobre você.

O pavão macho quando se encanta por algum pavão femêa, logo abre suas penas, as mais bonitas e as mais coloridas, a fim de chamar a atenção dela, e de te - la como namorada ou sei lá oque. É assim que eu te vejo. Pode ser coisa da minha cabeça, mas para mim é notável o modo como você calcula cada movimento que vá fazer a fim de que eu olhe e goste, ou não sei oque. Nessa horas me sinto meio a femêa do macho mesmo, te olho, e meio rio por dentro de toda essa exibição, mas de certa forma, eu gosto do que vejo. Você é todo alto, todo grande, mas tão, TÃO menino. É tão homem, e tão menino ao mesmo tempo.Nem parece que tem a idade que tem. E quer saber, se eu não soubesse, te daria 20 anos. Mesmo depois que batesse um papo contigo, aí talvez eu te daria menas idade ainda. Você é inteligente, e muito esforçado, agora um ps: esforçado quando você gosta do que faz, porque ao contrário... Também é notável para mim que tudo oque você quer, você consegue (menos eu, ok). Tenho pouco conhecimento sobre essa parte da sua pessoa, mas me parece que você não mede limites, e que se você precisar, você dá tudo de você por aquele objeto, ou aquele momento, ou aquele sonho, que seja, diria que você é meio inconsequente.Quando a gente ficou você foi carinhoso, tão fofinho, e me passou segurança sabe? Parece que eu poderia fechar os olhos e deixar você me guiar para onde quer que fosse, mas isso, menino, é perigoso para mim. Nessas horas, besteiras maiores podem acontecer. Besteiras que na verdade, eu não quero que aconteçam.Você é bom naquilo que você faz, e você sabe disso. Você sabe o modo certo de piscar na hora certa, ou sorrir na hora certa. E isso para mim, é uma droga. Você me tenta. Eu já te disse, você é SEXY, mas MUITO sexy, mais sexy que você somente Orlando Bloom (perceba a proporção). Mas além de você me tentar, você me IRRITA, e é MUITO. Tem dias que eu te odeio! MUITO. Tem dias que eu quero te matar, sabe menino? Você me irrita muito, me tira do sério. Faz eu perder a cabeça. Existe certa falta de respeito por mim da sua parte, que quase sempre eu penso em te ignorar eternamente. Me sacaneia, me desrespeita, me chinga, passa dos meus limites, fala coisas desagradáveis, tem ciúmes desnecessários, me faz ciúmes desnecessários. Sabe menino, eu não sou sua. Entende? Não sou, nunca serei. Nem que você queira, se é que você realmente me quer. É o que você diz, mas sabe eu não acredito muito. Também não acredito quando diz que me ama, ou que me acha madura, ou que não sou tão ruim naquilo que eu faço. Não acredito mesmo. Acredito nas suas histórias, e confio em ti pra contar muita coisa, mas tem coisas que eu não acredito MESMO. Aliás, você quer todas, e tudo. E essa é outra coisa que eu não gosto. Sabe, você tem responsabilidades, compromissos, e desrespeita - os quando age assim, isso é tão baixo, que quando age assim novamente penso em te ignorar para sempre. Mas entre tanto te amar e te odiar menino, eu faço uma média. E fico ali, em cima do muro, ora eu acredito e confio, ora não, ora eu te odeio, ora eu te amo. Mas tudo isso aqui é porque um dia eu prometi, agora cumpro: Com TODA SINCERIDADE, é isso o que eu penso de você, menino. É isso. É TUDO isso.

outubro 19, 2008

A volta

Nada está no lugar, eu quero fechar algumas feridas, eu ainda quero corrigir alguns erros, vou confessar meus pecados, quero quebrar algumas xícaras, vou destruir alguns maços, eu vou roubar essa alma, e vou enganar algum desconhecido, eu ainda vou tocar suas costas, sem que você perceba quem. Nada está no lugar, não adianta muita fé, e pouca luta, eu vou invadir o seu trabalho, e vou realizar meus desejos. Nada está no lugar, mas estará, você vai ver. Ps: Muitos não sabem, mas eu tinha abandonado o blogger. Crise momentânea, sabicoméquié, então babys, não abandonei. Mas essa semana ele realmente ficará jogado as traças pois além de semana de provas na facul, eu vou ter exame pra faixa preta de Karatê, e tô treinando tipo uma louca (Torçam por mim). Ps2: O visual novo tá meio fraquinho, mas eu gostei assim. Simples e suave. Ps3: Texto BEM nada a ver, porém mais ou menos o que eu tô passando, e não é pra entender, é pra sentir. Beijos Babys! Ps4: Tá, tá, tá, tô sabendo dos selos e do meme. Organizarei isso em breve. IMPORTANTE: PS5: Meu blogger tinha como title "Baby, u can see this? ", porém comecei a ser chamada a atenção pois a gramática estava incorreta. OK. Eu disse e repito, eu já sabia. Mas, oque é mais bonito "Baby, u can see this?" ou "Baby, can u see that?", pra mim, babys, sem dúvida, o primeiro, então como o blogger é meu e tal, liberdade de expressão e tal, eu deixei incorreto um bom tempo, MAS fui novamente chamada a atenção, e fiquei meia p da vida, não quero que isso aconteça novamente, ENTÃO, tá aí, do jeitinho que querem " BABY, CAN U SEE THAT? "

outubro 09, 2008

We

Eu estou aqui. No mesmo lugar, ao lado da mesma árvore. O céu está querendo chover. E eu estou esperando por ti. Esperando que você chegue como sempre chegou, me abraçe como sempre me abraçou. Me beije. Depois, que você se sente no banco, e me coloque no teu colo. Você falará sobre seu dia e como você está cansado. Que o trabalho está puxado, e que estão novamente pegando no seu pé. Eu farei carinho em você e te confortarei. Te beijarei várias vezes. Também direi que você pode contar comigo. Você chorará dizendo que se sente mal, e que queria ter mais tempo para si. Eu falarei coisas que vão te consolar, e direi que te amo. Você não responderá. Suspirarei. Ficaremos em silêncio. Você me tirará do seu colo, me dará um abraço apertado. E partirá. Eu terei de engolir todos os meus desabafos, que estavam na ponta de língua para dizer para ti. Eu engolirei minha raiva por você ser tão egoísta. Eu engolirei outro "eu te amo" que eu queria gritar pra você. Pensarei em te deixar. Mas, como eu vou te deixar, se eu te amo? Mas sabe. Amanhã eu estarei ali. No mesmo lugar, ao lado da mesma árvore. Esperando por ti.

outubro 08, 2008

Bichos

Cada dia mais as pessoas me provam o quanto não vale a pena se dedicar aos outros. É incrível como não reconhecem o valor das coisas que a gente faz. Não que eu faça as coisas esperando retribuição. Mas por favor, olhe, e pelo menos reconheça um mínimo de valor pelo o que eu faço. " Não posso ", " Não dá ", " A culpa não é minha ", viraram rotina! Cansei de dar valor à pessoas que não estão nem aí, cansei de me doar pra quem não se doa nenhum poquinho, cansei de pessoas interesseiras e egoístas, que gostam de RECEBER mas na hora de DAR... Cansei de pessoas sem atitude, ou que na verdade, não querem tomar algumas atitudes. Cansei de encontrar cada dia mais uma/um que não presta! Cansei dela, dela, dela, dele e dela. Eu entendo muita coisa. Entendo muitos " Não posso ", entendo muitos" Depois te ajudo ", mas quando é sempre, aí a coisa complica. Só sei que eu tô cansada. Eu que sempre escolhi muito bem quem amar, hoje me pergunto, se eu realmente escolhi certo. Ps: Babys, apesar desse desabafo a minha vida tá ótima. (Não que queiram saber né, mas...) Ps2: Esse texto tá uma porcaria, eu sei. Foi bem desabafo mesmo. Ps3: Esse texto não se trata de relacionamento de namoro ou algo assim, eu tô falando é de "amizade" mesmo.

outubro 04, 2008

Essa é a T. Ela é hetero.

Nunca fui preconceituosa, com nada. Gays, Lésbicas, Negros, Orientais para mim, são iguaizinhos a mim, sem tirar nem pôr. Dia desses fui pra uma balada com uma pessoa gay. Enfim, estranho foi quando eleouela me apresentava pros outros amigos também gays, da seguinte forma:
- Essa é a T. Ela é hetero.
OI? Que tem que eu sou hetero?
A tal pessoa fez isso várias vezes na noite. Todas aliás. De três conhecidos, os três eleouela me apresentava: " Essa é a T. Ela é hetero. "
Fiquei meio "encafifada" com o assunto. Porque essa denominação? Eu não a/o apresento como: - Esse é X, ele é gay.
Ao indagar sobre o assunto com tal pessoa, a mesma me respondeu:
- Sabe que eu não sei, é costume da gente.
Pois eu digo: Ora, mas que costume estranho!
Falando sério, que isso me incomodou meio que profundamente. Meio que me irritou. Conversa vai, conversa vem, essa pessoa até me admitiu que tem um certo preconceito com pessoas heteros, e que a razão desse preconceito é porque elas são muito preconceituosas! Eu entendo? Apresentar tal pessoa como hetero ou homo, já é um sinal de preconceito não? Desde quando isso me importa? Se alguém me apresentasse:
- Oi T, essa é X ela é gay.
Eu responderia:
- E?
Acabou que eu não entendo nada. Preconceito é ignorância, é burrice, mas não só da parte dos heteros, mas dos homos também! Se ela é hetero, se ela é homo, foda - se! Pessoa é pessoa. Com desejos, e sentimentos, com vontade e todo o resto, e merece respeito.
-> Esse aí é viado.
Certeza.
Ps: Não respondi Meme, nem postei selos, porque sou uma puta de uma preguiçosa, Babys.

setembro 27, 2008

Aos trancos e barrancos dessa vida, lá vou eu. II

- Nossa, como você está sorridente hoje. - Sim. É o amor. [Risos] - Nossa, já está apaixonado? Outra vez? - Estou. - Por quem? -* Pega no braço dela e faz carinho. * Por todas. * Ela puxa o braço. * - Me dá um beijo vai. - [RISOS] Mas é claro que não! - E por que? - Rapaz, você está apaixonado. Por todas. - T, vem cá. - Diz pai. - Filha, escute bem, vou te dizer algo que eu vou levo pra toda a minha vida: " Deus colocou a cabeça acima do coração pra se usar o raciocínio antes do sentimento. " - Sabe o que eu percebi hoje, T? - Diga. - Que você fica linda nessa calça branca. * Cara de tarado. * - Sabe o que eu percebi hoje, X? - O que? - Que você pensa com o pinto, e não com a cabeça. T para a classe, apresentando um seminário. - Entenderam? Classe em silêncio. - Não entenderam nada né? Certeza. [RISOS] - Eu ainda conquisto você, pode me escutar. - Meu filho, pra você me conquistar você tem que nascer mais três vezes. - T, quero te pedir outra vez, obrigado pela mulher linda, que você tem sido essas semanas. Você está fazendo tudo, valer a pena pra mim. Cada dia mais tenho certeza de que você é a pessoa certa que apareceu na minha vida. Obrigada por ser tão carinhosa, e dedicada. Eu amo você. - Ok. - Mas para de sofrer garota, ele é um bosta, menino. Manda ele crescer, manda ele se fuder. - Não consigo. - Mas você me liga, T? - Eu te ligo. - Ok. Vou desligar o celular. - Porque? - Porque qualquer idiota sabe, que você não vai ligar. Não é? - É. - Cada dia mais eu vejo que você fala demais. Tem horas que é preciso ficar quieta, T. - Realmente. Tem horas que é preciso ficar quieto, e deixar as pessoas serem como elas são. - T, e você vai pra onde? [RISOS] - Não posso saber? * T chega mais perto. * - Você é meu pai, marido, namorado, irmão? - Não, não sou. - Então não te devo nenhuma explicação. - Perdeu alguma coisa aqui? - Perdi. Você. - Não se perde o que não se tem. - Percebi algo hoje que mudou minha vida, T. - Já sei o que! - O que?? - Você percebeu que você é um bosta. Ps: Ok, é verídico e the end. Ps2: Juro que no próximo post tem os selos, e o meme. Ps3: Existem comentários aqui no meu blogger, que é perpeptível que a pessoa que comentou que adorou o texto e tal, e nem leu, na realidade o texto. Fico indignada com essas coisas. Eu babys, se eu disser que gostei do seu texto, eu realmente gostei, se eu comentar, eu realmente li. Se não leu, não comenta porra! Responda com SINCERIDADE, a enquete, por favor. Ninguém vai saber quem é você, mesmo.

setembro 23, 2008

Entre eu e você, garota.

Meu pai está assistindo o documentário na televisão. Minha mãe enfiada no quarto aonde ela lê algum dos mil livros sobre relacionamento que possui (aquelas porcarias).E eu estou aqui fora, no frio. Não lá dentro, aquecido como os outros, mas aqui fora, no telhado, observando uma lua que não quer ser cheia, e raras estrelas que insistem em piscar tristemente. Está frio aqui fora e aqui dentro de mim, garota. Tem graça fazer o que você faz? Te deixa feliz? Garotas são tão estranhas.

- Lúcia, onde está ela? Ela não vem?

- Não, não vem.

- Lúcia, mas ela não vem essa semana?

- Não, ela não vem nunca mais.

Nunca mais. Foi pra lá que você foi sem me avisar. E pra que garota? É legal sumir assim sem falar nada? Não dói em você? E quero que saiba que eu não vou te ligar. Não vou te procurar, garota. Na minha mente ficará a lembrança da última conversa com risadas entre copos. Nós dois bizarramente grogues, fumando e falando de música e da vida alheia.

- E a Larissa?

- Que tem?

- Ela me disse que é virgem.

- A Larissa virgem? Então eu sou loira e meu nome é Britney, "Baby, do you wanna a piece of me? "

Risadas e a resposta na minha mente: " Now baby ". Foi legal não foi? Tudo certo, eu tentei te beijar, porque eu te desejo garota, desejo teu corpo colado no meu, tua boca em minha boca, mas, eu não fiquei bravo quando desviou o rosto:" Você sabe que não quero mais que amizade ". Mas sabe, querendo ou não, algo dentro de mim dizia que isso ia acontecer, algo dentro de mim ou você mesmo. Foi sutil, mas me lembro, eu estava sentado, tentando trabalhar mas com a cabeça e os olhos na sua mesa, meu corpo queimando por dentro porque eu via o modo como teus lábios mordiscavam quase que inocentemente a ponta da caneta, você me olhou, e riu. Muito. Acho que deve ter reparado a minha cara de idiota e avoado. Rabiscou algo no papel, jogou para mim: " Quando você me perguntou o porquê eu não abraçava você, eu fiquei quieta. Achei que era melhor. Mas pensando bem, não é. Vou te explicar: Não quero me apegar. De modo algum. Não gosto de me apegar às pessoas. Só sofri nessa vida minha, e me prometi garoto: Nunca mais vou me apegar. Á ninguém. E tenho certeza se eu começar a me apegar à você vou me afastar. Tenho medo também, garoto, muito medo. " Foi por isso então garota? Mas isso é tão cruel! É tão insensível! Não se importou com o que eu sinto, ou com que eu tinha a oferecer. Talvez por que outro alguém já lhe machucou. Maldito! Mas sabe garota, eu teria sido tão bom pra você.

PS: TÁ, não me matem, mas ainda não postei os selos.

PS2: A Nega linda, me passou um meme. Respondo no próximo post.

Beijos Babys.

setembro 15, 2008

Elo

Ela estava ao lado do telefone. E para falar a verdade, ela não sabia o porque. Algo a levantou de madrugada. Não era bem uma agonia, mas chegava quase a ser. Começou a a suar frio. Algo a atormentava. Algo dizia a ela: Telefone. Ao lado do telefone. E ela, simplismente foi ao lado do telefone. Sentou - se. Não sabia o que fazer. Ficou lá parada alguns instantes, pensando no que poderia ter acordado - a tão subitamente. Então sentiu medo. Não era um medo comum. Era um medo de perder. Um medo muito grande de perder. Mas, perder oque? Começou a rezar. Rezou cerca de quarenta minutos. Que agonia. O que era aquilo? Parecia uma mão apertando seu pescoço, que às vezes afrouxava, somente para brincar com a vida dela. Nesse sufoco, ele tocou. O telefone. Assustada, ficou cerca de um minuto, para atende - lô. Mas foi quando a pessoa do outro lado pensou " Só mais um toque, e desligo. ", que ela resolveu atender. Com a voz trêmula e um tanto arfante: - Alô. Se a voz dela estava falha, nem se falava então na voz do outro lado. Era uma voz masculina, mas pelo tanto que tremia, tanto que falhava, não dava para reconhecer. - Ana? - A voz respondeu. - Quem é? Me diz quem é. E houve choro. Dos dois lados. Pelo dela, de medo. E pelo dele, de desespero. - Me ajude, Ana. - Quem é? QUEM DIABOS ESTÁ DO OUTRO LADO DA LINHA? - Me ajude, Ana. Te imploro. Me ajude, Ana. - O que quer de mim? Por favor, o que você está fazendo comigo? - Ana, vou me matar. - Mas, por Deus. Por favor, quem é? - Ana, me ajude. Ana, só você pode me ajudar. Choro. Dos dois lados. De medo, desespero, confusão. - Como posso te ajudar? - Ana. Eu não mereço estar vivo. - E porque? - Ana. Estou com um revólver com somente uma bala, mirada para mim, vou puxar o gatilho. - Não, por favor. Não faça isso. Choro. - E por que eu não faria? - Porque, você deve ter seu valor. Você deve ter. - Me diz, que valor? Me diz, Ana. - Com certeza você já ajudou alguém nessa vida. Você já sorriu para uma criança. Você já agradeceu a Deus. Você já disse um "eu te amo" verdadeiro. Você já admirou a natureza. Você já confortou alguém que precisava. Você já fez isso. Tenho certeza. Você tem o seu valor. Choro. - Ana. Tenho mesmo? - Tem. Claro que tem. - Ana. Eu já disse um "eu te amo" verdadeiro. - Que bom! Muito bom! Por favor, me diz quem é? - Ana. Obrigado. Ela esperou mais palavras. Disse até que não havia feito nada. E não havia feito mesmo. Falar que cada um tem seu valor? Que coisa mais banal. Mas nada lhe foi respondido. Ele havia desligado. Mas, quem era ele? Onde estava a agonia que sentira minutos antes? Oque havia acontecido? Ela não sabia, mas ficaria quase um mês sem dormir direito por isso. Ele desligou. Voltou o revólver na caixa. Tomou mais dois calmantes. Ele sabia. Ela o ajudaria. Ela sempre o ajudava. Por mais que fizesse cinco anos que eles tivessem se separado, Ana sempre sabia o que fazer para deixá - lo se sentindo melhor.

setembro 14, 2008

O Tigre e o Pato

Ela pediu uma Coca - Cola de vidro e um copo com limão e gelo, enquanto esperava por ele. Ela sabia que ele iria demorar. Era típico dele. Ele sempre a fazia esperar. Enquanto ela, toda boba, se arrumava três horas antes para ficar pronta no horário. Já ele começava a tomar banho, no horário combinado para se encontrar. Então, como ela imaginou, depois de quarenta minutos ele chegou ao barzinho, fumando, como sempre. Era um domingo, à tarde. O bar estava quase vazio. Igual ao coração dela. Cumprimentaram - se com um selinho sem vida. Normal. Isso já tinha virado costume. Ambos não queriam fazer, faziam - no por obrigação. Foi ela quem disse: - E como foi o futebol? - Bom, foi divertido. Ganhamos, de dois a zero. - Que legal. E que horas chegou em casa ontem, querido? - Hum, era umas duas horas da manhã. - Ah. E pra onde você foi? - Parei num bar com dois amigos. - Hum, legal. - É. Silêncio. - Tá com fome? - Não, comi agora à pouco. - Certo. E mais duas horas se seguiram assim. Vazias, sem sentimento algum. Conversas xoxas, num minuto, e muito silêncio em outro. Decidiram ir embora. Um abraço fraco, e dois " eu te amo " trocados por pura obrigação. - Nos vemos mais tarde. Ela iria dormir até a hora de vê -lo novamente. Ele ia pra um churrasco, com os amigos que tinha acabado de despedir - se. Era como se fosse um contrato. O namoro dos dois, digo. Havia sentimento, mas as mágoas estavam tão à flor da pele, que sinceramente, eles não sabiam mais o que fazer. Ela se sentia sem vida, fraca, carente. Ele apesar da carência, pouco se importava com o destino dos dois. Ela se perguntava o porque da falta de coragem de terminar. E a resposta vinha no instante seguinte: Ele não precisa de você. Que porra é essa que o ser humano tem de "gostar" de ser chutado? Porque as pessoas não gostam de quem gostam delas? Ps: Quanto ao título, por favor, não me pergunte o porque dele. E na verdade, é só você pensar um pouco, que vai entender. Ps2: Tenho lido comentários, me dizendo para deixar de colocar " Esse texto não é verídico ", no final dos posts. Mas digo à vocês, babys, continuarei colocando. Por motivos pessoais e porque não gosto de pessoas me dando conselhos, uma vez que aquilo, nem está acontecendo na minha vida. Obrigada.

setembro 06, 2008

Some.

Então vai se precisa ir. Se você quer ir. Então vai. Já não me importo tanto mais com o que você faz ou deixa de fazer. Você me traz mais problemas do que soluções. Vai se quer ir. Mas não volte. Não venha como sempre implorar meu perdão. Porque desta vez, eu não vou perdoar. Cansei de ser brinquedo, menino, juro que cansei. Cansei de te criar, e tentar te educar. Eu não tenho um parceiro, eu tenho um filho. Por favor, não mereço tal coisa. Então vá. Seja feliz, beije muitas bocas, coma muitas garotas, tente a sorte com uma qualquer. Mas te digo carinha, você não vai conseguir ficar com ninguém por mais de três meses. Você é chato, é sem - graça, é um pé no saco! Não vão ter paciência contigo. Você é garoto pra uma noite só. Como eu tenho de aguentado por tantas noites? Vai se quer ir, se precisa ir. Por favor, te insisto: VÁ! Ps: Deixando claro, texto NÃO VERÍDICO OK? SIM, eu estou P da vida, mas o texto não é VERÍDICO! PS2: Por favor, votem na enquete ao lado! PS3: Não esqueci dos selos ok?

agosto 31, 2008

Sabe garoto,

eu poderia estar em tantos lugares agora. Eu poderia estar com as minhas amigas rindo de tudo, e fofocando horrores. Eu poderia estar em uma balada, trêbada. Eu poderia estar lendo um livro. Eu poderia estar escrevendo uma carta ou algo assim. Eu poderia estar ouvindo aquela música. Eu poderia estar fumando. Eu poderia estar em um bar qualquer contando ao balconista sobre minhas decepções amorosas. Eu poderia estar dormindo abraçada com o meu cachorro. Eu poderia estar vendo um bom filme, ou comendo sushi em um restaurante japônes. Eu poderia estar fuçando vida alheia, ou poderia estar conversando com um amigo antigo ao telefone. Eu poderia estar beijando um qualquer, ou transando com um qualquer. Eu poderia estar parada em um posto, solitária vendo a madrugada se esvair, e então porque não acompanhada? Eu poderia estar estudando, ou me vingando de alguém. Eu poderia estar em Londres, nem que fosse somente em imaginação. Eu poderia estar ocupando minha cabeça com outra coisa senão você. Mas veja bem garoto, entre todas as opções do mundo que eu teria, eu prefiro ficar assim, com você. Ps: No post anterior ficaram me dizendo que eu era muito escrota. Bem, sobre esse adjetivo, ao meu ver, ele tem um teor muito perojativo. O que é ser escroto pra você? Beijo baby, e não me liga. Ps2: Ganhei alguns selos, NÃO ME ESQUECI NÃO BABYS, posto em breve e obrigada!

agosto 27, 2008

Aos trancos e barrancos dessa vida, lá vou eu.

Tranco 1 - O que aconteceu com a gente, gata? - Com a gente? Nada ué. O que aconteceu? - Não me ama mais? - Nunca amei. - Nunca amou? Oque foi tudo o que passamos? - Carne. - Carne? Não brinca assim comigo, T. - Você sabia desde o início cara, mas é tão egocentrista, se acha tão bom, que acha que todas se apaixonam por você, mas eu já disse, e repito, eu não sou todas, e eu nada mais queria de você do que carne, e pra ficar claro, oque você tem a me oferecer de "carne" nem é tão bom assim. Tranco 2 - É incrível como você pode ter quarenta anos nas costas, e agir como um moleque. - Acho que você está querendo um soco na boca. - E eu acho que eu não tenho mais medo de você. Tranco 3 - Eu amo você, desde o começo. Mas eu não te amo do mesmo jeito, te amo mais. Não quero que a gente fique mal. Prometo, vou melhorar tudo isso. - Você não cansa de prometer o que não pode cumprir? Tranco 4 - Eu estou aqui do teu lado, quando você precisar. Não gosto de te ver triste, se não quiser me contar tudo bem. Mas eu estou aqui. - Mãe, um dia vou ser sensível e doce como você. Tranco 5 - Tua ironia me irrita!Não suporto tuas respostas atravessadas e cheias de moral. Eu estou cansado disso e de você, T! - Faz assim. Sai daqui e não volta. Nunca mais. Tranco 6 - Talvez eu tenha medo, e tente me esconder. Talvez as coisas nunca irão dar certo. - Talvez você dramatize demais.

agosto 18, 2008

Duro amadurecimento.

Licia diz: tipo, o milho tem que passar pelo fogo pra se tornar pipoca... Licia diz: a gente também passa por provas de fogo pra se tornar alguém. Não preciso complementar com mais nada, você já disse tudo. Aliás, Te amo.

agosto 13, 2008

Os pingos dos Is

É carnal somente. Porque me atrai. Me faz delirar. Me faz sentir. Seu intelecto? Oras, seu intelecto. Ele é interessante sim, fala coisas que me fazem refletir horas a fio, e faz a minha consciência pesar. A conversa com você é boa, tá bom? Somente isso. Boa. Você tem ataques desnecessários, e infantilidades que me cansam. Então a conversa é boa. Somente. Não acho que seja um papo super foda e maduro. Mas cala a boca, você. A coisa é mais embaixo. A coisa é carne. É cheiro. É toque. A coisa tem som de chorinho com bossa nova, e um pouco de mpb. A coisa tem o gosto de cerveja, cigarro e desejo. A coisa tem o cheiro de sabonete e confusão. A coisa quer gritar, arrancar toda a roupa, e enlouquecer. Espere querido, e me entenda: A coisa é CARNAL. Carnal. E se você não quer acreditar, eu repito: CARNAL! Não, eu não te amo. Não, eu não quero me casar contigo. Ok, admito. Seus beijos em outras bocas me deixam meio irritada, sua boca pronunciando nomes, me fazem pirar. Mas isso garoto, é carnal. Elas que fiquem com o seu intelecto, e deixem seu corpo pra mim. PS: Pra ficar claro, TEXTO NÃO VERÍDICO. Obrigada. Babys, saudade!

agosto 03, 2008

Estranha - se. E depois? Estranha - se. ( Sobre Mim )

Porque eu me imaginava bem mais fria. Porque eu faço do amor uma ciência quase que não interpretável. Não sabia e ainda não sei como é que se ama verdadeiramente. Eu acho que amo, mas o que é amar? E é também porque sempre fui de brigar muito, me preocupar muito, me estressar muito, meu modo era brigando, o que aconteceu? Amadureci? Tem uma hora que tudo se aquieta? É porque sempre tento chegar pelo meu modo. É porque agora que estou aprendendo a ceder. É porque no fundo eu queria amar o que eu amaria - e não o que é, mas amar? Estranho. É também porque eu me ofendia a toa. É porque talvez eu precise que me digam com brutalidade, pois sou muito teimosa, não só teimosa, mas arrogante também, grossa como dizem, porém simpática e educada, dá pra entender? É porque sou muito possessiva e então me foi perguntado com alguma ironia se eu também queria o lixo e o resto para mim.Talvez eu me ache errada demais, mas o que é errado? Talvez eu tenha que chamar de "mundo" esse meu modo de ser um pouco de tudo. Eu, que sem nem ao menos ter me percorrido toda, estou me estranhando. Eu que jamais me habituarei a mim, estava querendo fazer coisas que nem eu mesma entendo. Porque eu, que de mim só consegui foi me submeter a mim mesma (ou à você?), pois às vezes sou tão mais inexorável do que eu, e às vezes sou tão certa quanto eu. Texto sobre mim, escrito por mim, baseado num texto da Diva Clarice Lispector. Ps: Esses dias eu ganhei dois selos, posto em breve. :)

julho 29, 2008

O sexo não chegava a ser ruim. E tudo bem, ela não sabia a hora de abrir a boca. Até um " eu te amo " quase sempre era falado na hora errada. Ele não gostava da maioria das roupas dela, principalmente daquela blusa azul e roxa que ela insistia tanto em usar. Ela era chata, e tão ciumenta e até o futebol com os amigos tinha sido desconsiderado. Mas a falta que ela estava fazendo era dum tamanho tão grande, que chegava a ser incalculável. Como sua mãe dizia " quando a gente perde, que a gente dá valor " . Ele estava bebendo um pouco de whisky com suco de laranja para ver se relaxava. Seu maço de Malboro estava já amassado e posto de lado, em apenas 30 e poucos minutos. Mas nem a bebida, nem o vício conseguiam relaxa - lô. Sua barriga estava tão estranha, e tão embrulhada, que ele se sentiu com 12 anos. Como se fosse um pré - adolescente esperando a namoradinha atrás do muro da escola. Então, ela chegou. Sentou - se a mesa em silêncio e apenas olhou - o nos olhos. Ambos ficaram numa de " falar ou não falar ", que como se fosse mágica os dois falaram juntos. Aí teve aquele " pode falar ", " ah não, fala você " que ele decidiu falar primeiro antes que ela se irritasse. - Ana, eu queria te pedir: volta comigo Ana. Volta, por favor. A gente tem tanta coisa pra viver ainda. E eu, amo você Ana. Amo mesmo. - E só agora você me diz isso? Ela levantou da mesa descontrolada, porém falava baixo. Ela não era do tipo que dava escandâlos. - Você espera que eu sofra três semanas, que eu chore, que eu mude minha vida, que eu tente o suícidio, que eu rasteje aos seus pés, e que você beije OUTRA GAROTA NA MINHA FRENTE para que você venha me pedir isso? Ora André! E eu tenho cara de palhaça? - Ana, por favor. Você me faz tanta falta. - André, agora não posso mais. - Ana, eu te juro que... - André, estou indo pra Alemanha. - O que? Quando? Com quem? - Isso. Alemanha. Esta noite. Com uma pessoa. - Você está brincando comigo Ana. Você só pode estar brincando comigo. Foi a vez dele levantar, e passar a mão no cabelo loucamente, como ele sempre fazia quando estava muito nervoso. - Você está brincando. É brincadeira não é? É brincadeira, eu sei ! Vamos me diga. Ele queria chacoalha - lá, bater nela, e fazer que ela confessasse que era tudo brincadeira, que era tudo mentira, mas isso a assustaria. - André, é verdade. Ele engoliu seco. As lágrimas começaram a rolar. - Quem é a pessoa? Ana me diz, quem é a pessoa? - Não te interessa André. Ela pegou a bolsa que estava pendurada no braço da cadeira e começou a sair. Ele a deteve. - Volta pra mim Ana. Iremos juntos à Alemanha. Prometo Ana. Te prometo ! - André, agora não posso mais. - Porque Ana, porque? - Eu já não o amo. Ele a soltou, completamente perplexo. Depois riu loucamente, de uma maneira assustadora. Qualquer um que o visse naquele momento, pensaria que ele fosse um maníaco psicótico. - Não me ama? HAHAHAHAHAHA. Claro que ama. HAHAHAHAHA. Deixa de ser boba, Ana. HAHAHAHA. Ela saiu, sem ao menos que ele percebesse que ela o tinha feito. E quer saber. Ela não o amava mais mesmo. Não daquele jeito. Porque como diz alguém que eu conheço: Às vezes uma pessoa faz tanto uma coisa pra você, e de novo, e de novo, que caleja. E chega uma hora que nem dói mais. E o amor? O amor vai embora também. Ou a gente pensa que vai. Babys, estou de volta. Tipo, mais ou menos né. Esse meu post, está completamente fraco e eu abandonei décadas isso aqui. Mas não que seja de interesse seus, eu tô bem melhor. E sinceramente, bem mais madura. Beijo pra vocês ;* Saudade disso aqui !

julho 17, 2008

Sobre MUITA PERPLEXIDADE, um diálogo, um Meme e um Selo.

Muita PERPLEXIDADE
Eu estava andando com o meu namorado pelo shopping um dia desse, quando eu vi duas garotinhas, de mais ou menos onze anos, sem bunda nenhuma ou peito algum, usavam bolsas enormes, e salto alto. Elas sorriam, acenavam e mandavam beijinhos, ao olhar na direção do objeto de risadinhas de ambas, eu vi dois garotos. Comecei a rir com aquilo tudo. Flerte infantil!Genial! Meu namorado entrou no banco pra sacar algum dinheiro e eu fiquei do lado de fora, perto daquelas garotinhas. Escutei a conversa entre elas:
- Você quer ficar com ele? Ainda dá tempo. Meu pai só chega daqui uns quinze minutos.
- Ai, mas se ele passar a mão na minha bunda? Ele é bem mais velho que a gente...
(E era mesmo, o filha da puta deveria ter uns 16 anos.)
- E daí? Normal Fe.
Então elas foram lá, conversaram com eles e tal e tal e tal, e daqui a pouco, os dois casais se agarravam e se beijavam loucamente. Eu e meu namorado (que já havia saído do banco), achamos aquilo tudo tão horrível, tipo assim super deplorável. Ficamos comentando horas e lamentando por essa nova geração corrompida. Agora pergunto: Como assim minha gente? O que está acontecendo com esse mundo e com as pessoas dele? Caramba, meu primeiro beijo na boca foi aos quatorze anos, e eu ainda brincava de boneca! E agora? Será que eu vou ter que ao invés de dar uma Barbie pra minha irmã de doze anos, vou ter que dar uma sandália alta, ou uma bolsa fashion? Oque está acontecendo? Eu estou totalmente perplexa. As crianças de hoje não sabem o que é brincar na chuva, ou comer quilos de chocolate com as amigas assistindo " A dama e o vagabundo " (faço isso até hoje). Aliás, isso me lembra o dia em que as amigas da minha irmã vieram aqui em casa, e trouxeram alguns filmes pra assistir, os quais eram: " O Albergue " e " American Pie - o casamento ", eu fiquei horrorizada com isso. Por deus, vão assistir Barbie-no-seu-castelo-mágico ou sei lá o que! VÃO SER CRIANÇAS! Não sou santa, babys. E também não quero parecer uma velha moralista (tenho 18 anos), mas sério, aos doze anos, eu assistia " Alice no País das Maravilhas "! O que acontece? Me digam, me expliquem, pelo amor de Deus! Daqui a pouco as garotas estarão transando aos 13 anos, se já não o fazem! O que vem depois? Cigarro aos 12 anos? Extasy aos 12? Bebida aos 11? Eu sei que minha opinião não vai mudar nada. Não posso e não tem nem como, eu pegar menina por menina, dar uma boneca a elas, e bater nelas atéelas entenderem que devem se pôr no seu lugar, aliás porque a culpa nem é delas. É desse mundo" evoluído " e dessa sociedade esquesita. Só vim mesmo pra desabafar e demonstrar o tamanho do meu nojo por tudo isso. Eu tenho medo desse mundo babys. Tenho sim. E é medo demais.
Ps: Acho que não consegui me expressar direito. Embaralhei as idéias e etc. Tomara que me entendam.

Um Diálogo:
- Então você quer dizer que não vai ir comigo, T?
- Isso mesmo.
- Peraí, eu me iludi esse tempo todo? Achei que estava te conquistando?
- É isso aí.
- E você não me disse nada?
- Estava engraçado ver todo o seu esforço.
- Como você é ruim T! Como você pode ser assim tão insensível? Que nojo!
- Rapaz. Eu te disse desde o início: eu tenho namorado, e namoro, pra mim, significa compromisso, respeito, fidelidade e responsabilidade, e eu cumpro com os meus compromissos.

Um Meme
Aviso: Todas às vezes que forem postar em seus bloggers esse Meme, postem ele completo (incluindo esse aviso), por favor. Feito por T (http://www.vezescinco.blogspot.com/). Eu gosto dos Memes que vejo por ai, mas eu quis criar um Meme mais sério, e com perguntas diferenciadas. E aqui está ele:
O Meme com as minhas respostas:
About YOU
Nome completo - T (hihihihi) Gibin do Amaral.


O que você pensa sobre o aborto? - Pô, eu penso tanta coisa sobre o aborto! Eu poderia encher páginas, mas ninguém iria lerentão, vou tentar ser breve. Primeiro acho que o aborto é uma decisão pessoal. Cada um sabe em que pé anda sua vida, e se oaborto é necessário ou não. Portanto, esse tema é um tanto quanto relativo. Por um lado matar uma "vida", é um crime, e para algumas religiões um pecado, para o Direito (meu curso) um feto nem ao menos é uma pessoa.Por outro, às vezes uma gradivez numa hora indevida traz muito prejuízo, e pode até estragar a vidade uma pessoa, e muitas vezes também, essa criança não vai ter um lar, e uma educação devida.Acho que cada pessoa sabe o que faz, mas se eu for responder se eu sou contra, ou a favor, eu respondo que sou a favor.


Qual sua opinião sobre a Lei Seca? - Pô, CARALHO NÃO POSSO MAIS BEBER! hahaha, brincadeira (Sem graça). Ando vendo no noticiário queos acidentes diminuiram 50% desde a Lei Seca. Me diz: isso é ruim? VIVA A LEI SECA!


Qual sua maior ambição? - Muuuuuuawwhauhwauhw (Risada Maléfica) " Oque vamos fazer essa noite Cérebro? " haha BRINCADEIRA.


Qual seu filme preferido? - Ah vai. Pra que eu criei essa pergunta? Eu não sei responder não. São vários. (Só um ps MUITODESNECESSÁRIO: MORRAM TODOS QUE CONSIDERAM "Eternal Sunshine.Um brilho de uma mente sem lembranças", o melhor filme. Nunca vi filme mais chato,tosco e confuso.QUE NOJO DESSE FILME!)


Entre branco, verde, preto, roxo, fica com qual cor? - Verde. Mas tem que ser MUSGO. Verde Musgo.


O que faria se ganhasse um milhão de reais? - Desde comprar outra casa, silicone até ajudar crianças.


Qual é a sua cidade e qual parte dela você mais gosta? - Piracicaba, SP. E a parte dela que eu mais gosto é a minha rua,porque tem minha casa, e na minha casa tem minha cama, e a minha cama é o que eu mais gosto.


Qual sua opinião sobre a frase " Deixa que digam, que pensem, que falem(...) " ? - Meu LEEEEMA. EU me AMO, e isso me basta. DIGAM, PENSEM E FALEM OQUE QUISEREEEEEEEEM.


O que pensa sobre religião? - Penso que EU preciso de Deus, a todo instante, que sem ele eu sou um lixo ok beijos me acuda. Mas isso sou eu. Cada um com seu deus, sua crença e etc. O importante é encontrar um caminho que te dê paz, independente da religião.


O que considera a coisa mais importante da sua vida? - Deus.


No que você pensa mais que tudo? - Como vou ser daqui 20 anos?


Qual a música que você mais ouve? - No momento: Leavin ' - Jesse McCartney. (Essa música é totalmente sexo adolescente, e a tradução é uma bosta, mas a batida é legal, e ele é sexylindo ok. NAMORADO TE AMO, fica bravo comigo não ciumentinho, hihi.)


Concorda com a frase " Tudo tem dois lados. " Se sim ou se não, porque? - Claro que sim, dã. Não vou explicar. Que perguntaidiota, T.


Entre frio ou quente? - Frio.


Entre dia ou noite? - Noite.


Entre doce ou salgado? - Doce.


Entre terror ou drama? - Nenhum.


Qual sua maior qualidade? - Sinceridade.


O que pensa sobre as Cotas Raciais? - Cota Racial = PRECONCEITO + INJUSTIÇA


A gíria que mais fala? - Velho, Cara, Uai (Tenho que parar, pareço um macho.)


Eu tenho que: - Dar um abraço no meu pai, faz tempo que eu não abraço ele, tadinho.


Eu posso: - Eu sou por demais de anormal. Nem eu sei responder as minhas perguntas. (?)


O que mais chama atenção em mim: - Minha boca. (Eu sou beiçuda, babys, haha, eca.)


O que mais chama a minha atenção nos outros: - A calma. EU ADORO PESSOAS CALMAS, aquelas que falam baixo e tranquilamente, que adoram sentar e ouvir os passarinhos. OUN.


Deixe um recado: - Deixe um recado? Han? qqqqq

Passo o Meme para os meninos:
http://poemafilosofia.blogspot.com/
http://ditospelomaldito.blogspot.com/
http://maucamus.blogspot.com/
http://pensamentoscirculares.blogspot.com/


Um Selo:



Ganhei da linda do blogger http://bazinhaprincess.blogspot.com/, obrigada flor!!

Beijo Babys :*

julho 10, 2008

Han

Sabe, eu vim pra...hum, pra falar algumas coisas. Não é nada de muita importância não. Na verdade nem faz muita diferença na minha vida sabe, e han, não vai fazer na sua também. Sei lá. É sobre algo que vem acontecendo há algum tempo. É, eu vou resumir sabe. Não quero tomar mais seu tempo. Eu só queria te dizer que você me deixa meio que fora do ar, meio boba sabe, tá bom: completamente desnorteada. Quando você chega perto de mim começa a me dar um calor que eu sinceramente, não sei da onde vem, mesmo que antes eu estivesse arrepiando de frio. O meu coração começa a bater tão forte, que o sinto nos meus pulsos e no meu pescoço, coisa que me faz enjoar. Eu digo coisas que eu nunca diria, e é somente depois que eu digo que eu percebo que eu disse, mas eu não queria dizer, me entende? Tem também outra coisa. Quando você me olha nos olhos e começa a falar comigo, me desculpe eu não presto atenção. Por isso que você diz que eu concordo com tudo o que você diz, porque eu não escuto nada, eu fico olhando pra sua cara, pros seus olhos lindos, e pra sua boca, que contêm o sorriso mais perfeito que eu já vi, e daí quando eu percebo você já acabou de falar, e a única resposta que eu tenho é: Aham. Sabe, eu acho que tô te amando, sabe. Assim simples. Mas isso não faz muita diferença na minha vida nem na sua, eu sei. Sabe, deixa pra lá. As pessoas amam e desamam sempre né? Hahaha. Então tá vou indo. Obrigada por me ouvir. É que eu queria dizer, han, só pra, pra, constar mesmo.
Ah, ganhei esse selo legal da Cá (http://assuntosassim.blogspot.com/), obrigada linda!

julho 07, 2008

Sobre diálogos, reclamações, quinta idade e o caralho a quatro.

Sumi sim e pelo jeito vou continuar sumida, babys. Meu inferninho astral insiste em ficar comigo, MAS eu melhorei muito! MUITO MESMO. Aliás do que adianta a reclamar ? Esses dias eu fui visitar minha bisavó sabe? E sério, de cada cinco palavras que ela dizia 6 eram reclamações. Eu a amo, mas comecei a ficar extremamente irritada com aquilo tudo. Mas que depressa arrastei minha mãe de lá
" Vamos mããããe. "
" Calma T, faz tempo que não à vemos..."
" Vamos Mãe, caralho! "
(Tenho que parar de falar assim com a minha mãe, eu sei.)
No carro:
" Oque foi T? "
" Mãe, pelo amor de deus, o que é aquilo? ELA RECLAMA DEMAIS DA CONTA, super me estressei. "
" T? "
" Diga. "
" Me desculpe mas, você está quase igual a ela. "
Depois que minha mãe disse isso eu fiquei extremamente com raiva, muita mesmo. Só depois reparei que caramba, era verdade. E do que adiantava? De nada, babys! Neca de pitibiriba! Ao contrário, reclamar piorava mais ainda as coisas, mas eu só reparei isso quando parei de faze - lô.

Mudando de assunto, há um tempo eu escrevi um texto Baby, u can see this?: A solução dos meus (talvez dos nossos [?]) problemas ! , o qual foi muito comentado ( obrigada ! ) e no texto com muito pesar eu dizia sobre a minha solução. A solução pra minha vida de não me importar mais com algumas coisas, e hoje eu estou muito feliz, pois não só consegui por em prática minha solução, como ela realmente está mudando minha vida. Pra melhor ou pra pior isso eu ainda não sei. Eu acho que é pra melhor, mas independente, me sinto bem melhor. NÃO ME IMPORTO MAIS, com algumas coisas, as quais me ofendiam e me machucavam demais. Oque for pra acontecer, vai acontecer, então DESCOMPLIQUE, NÃO FODA, NÃO SE IMPORTE. TUDO SE AJEITA UAI. Tá aí a liberdade que eu tanto sonhei em dar! FINALMENTE.
Tá tá difícil de entender meus posts ultimamente né? É a tal da paranóia, relaxa...


Sobre diálogos verídicos:

1:
- T, eu te amo tanto.
- Também amo.
- Obrigado por ser tão boazinha comigo, quando eu sou tão filho da puta com você.
- Tudo bem.

(Você esperava me ouvir dizer que você não era filho da puta? Desculpe, não gosto de mentir.)

2:
- Sabe T, eu olho pro seu pai, e vejo como ainda sou apaixonada por ele, mesmo estando casada esses 25 anos.
- Nossa mãe, apaixonada? Impossível. Você o ama demais e pronto.
- T, amor faz disparar o coração quando o vê?
- Acho que não geralmente mãe. Isso é paixão.
- Pois todas as vezes que eu chego em casa, meu coração dispara ao ver seu pai. Eu o amo, e sou apaixonada por ele amo mesmo tempo.
- Mãe, será que isso vai acontecer comigo?
- Não sei T. Mas vou rezar pra que sim.

3:
- Mas * Traga o cigarro * você é feliz?
- Eu?
- Claro T...
- Por demais!
- Mesmo ele te fazendo tudo isso?
- Olha, as coisas tem sempre dois lados senão mais, pra um pode ser TUDO ISSO, e pra outros pode ser SÓ ISSO. E graças a deus, ultimamente eu tô me encaixando na segunda opção.

4:
- Pra você.
- HAHAHAHAHA, você é DOIDO!
- Porque?
- Porque é uai!
- Gostou T?
- Só uma coisa?
- Diga.
- Me explica?
- Tá tudo bem explícito aí.
- Eu sei, mas quero ouvir.
* Coça a cabeça, olha de canto, puxa e diz no ouvido. *
- Se todos os meus sentimentos expostos não bastaram, o que serão as palavras?


Beijo Babys
ignorem a quantidade enorme de besteira!
Fiquem bem!

Ahhhh
ganhei uns selos da Raíssa ( http://pensamentos-aereos.blogspot.com/ )
obrigada linda! Fico muito honrada.













































junho 29, 2008

Paranóia, Paranóia!

Não sei ao certo o que acontece. Está tão confuso dentro da minha cabeça. - Você acha que eu estou paranóica? - Um pouquinho. Pois bem, devo estar. E se não estou, prefiro pensar que sim. É mais fácil aceitar a paranóia, do que tudo ser verdade. Mas está na hora de algumas coisas mudarem. CHANGE, CHANGE. Não entenderam nada né? Liga não. É paranóia minha. Sobre uma conversa de hoje: - Me ama? - Não. - Não daria sua vida por mim? - Não sei. - Não sabe? - Não. Não daria minha vida por você. - Se tivesse X e Eu num bote pra afundar, que você salvaria? - Que infantil...Olha sua idade rapaz! - Quem salvaria T? - X. - Nossa, não valho nada pra você... - Quase isso. - Caramba... - Aliás, deixaria que os dois morressem. -> Eiiiii minha gente, sobre o post daí embaixo, não, não é real. e não tô postando porque tipo, tô em um inferninho astral, que pqp! super mal e sem inspiração... e pra quem quiser: deixem seus msns, vai ser um prazer conversar com vocês... :) beijo ps: ah, e eu fiz orkut... http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=13895982194188639534

junho 25, 2008

Sobre Lágrimas e muita Dor

- Eu quero que me prometa uma coisa.

- Se for pra te fazer feliz, prometo oque quiser.

- Jura?

- Juro.

- Me promete que vai ser feliz?

- Desculpe, mas não posso prometer isso.

- E porque? Me disse que prometeria qualquer coisa pra eu ser feliz!

- Desculpe, mas não quero largar de você.

- Está infeliz ao meu lado né?

- Muito.

- Eu te amo.

- Eu também.

- Não quero te fazer mal.

- Mas você faz.

- Vai ser feliz?

- Olha se quer largar de mim, e está te faltando coragem, me diga, certo?

- Não é isso! Só quero que seja feliz.

- Tem certeza?

- Tenho.

- Mas do mesmo jeito, não vou ser feliz sem você.

- Mas pelo menos não terá decepções todos os dias.

- Tem certeza mesmo que quer isso?

- Tenho.

- Eu não queria.

- Quero que seja feliz. Independente de qualquer coisa.

- Tomara que a próxima te faça feliz então.

- Não quero próxima. Vou te amar pra sempre.

- Ah, relaxa. Não vai não. Daqui a pouco você tá novo.

- Não fala assim. Não é verdade.

- Tem certeza? Você quer isso mesmo?

- Quero. Eu quero sua felicidade. Independente.

- Não é o que parece mas enfim. Seja feliz, e eu vou rezar pra que dê tudo certo na sua vida.

- Nenê...

- Diga.

- Te amo, você é a mulher da minha vida e se você achar que pode ser feliz ao meu lado, me procura. Vou estar aqui te esperando.

junho 23, 2008

Bisavó do Funk

Hoje assistindo um programa de tv (o qual eu não vou citar o nome, pois é um programa PÉSSIMO, e não vou dar ibope para tal), vi uma tal de Bisavó do Funk. A mulher já era bisavó e estava em ótimas condições físicas para sua idade. Ela cantava funks depravados do tipo "quer passar a mão, pode passar. A mão, a mão, no mamão." Logo que vi aquela cena, comecei a rir e fiquei até com raiva, pensei coisas do tipo "Meu Deus,essa mulher deveria se por no seu lugar". Foi aí que algo dentro de mim falou mais alto. Peraí, qual é o lugar dela? O lugar dela é se sentar, tricotar, ir a missa, e fazer bolo, para os netos e bisnetos? Me senti totalmente pra baixo e corrompida pela sociedade em que nós vivemos.Uma sociedade que adora por rótulos, e estabelecer padrões. Será que essa tal de Bisavó do Funk, seria feliz, como ela demonstrou ser no programa, tricotando cachecóis? Portanto, eu estou com ela e não abro, o importante é ser feliz! Dane - se o que a sociedade acha! Dane - se que a sociedade pregue que uma bisavó de 60 e poucos anos tenha que ir na missa, e sentar com os netos tomar o chá da tarde. Por favor! Deixe que ela quebre os padrões, deixe que ela VIVA, deixe que ela seja FELIZ!Ainda me sinto rídicula por ter me deixado influenciar por essa sociedade tosca em que vivemos. E olha que ela influencia tanto na vida das pessoas que eu mesma pensei algo, sem que eu pudesse perceber. Se você acha tosco uma mulher sendo feliz aos 60 anos dançando e cantando funk, o problema é seu. Só pense bem, qual é o motivorazão pelo qual você acha isso. Tenha opinião própria por favor. Ir conforme a onda leva, é uó. Prontofalei.

junho 22, 2008

E eu não estou me importando. Se eu estou, estou fingindo que não. E vai ser assim. Sempre. Pra sempre. Até quando eu aguentar. Até quando VOCÊ aguentar. Aí vem com presentes fora de hora. Por favor! Presentes não me compram. Aliás como diz minha mãe, quem deve dá presente. E homem é romântico assim de dar presente do nada? Olha não vou generalizar! São poucos. Muito poucos. Raros. Então é isso. Estou aguentando. Mas não sou idiota. Está intalado na minha garganta, mas as lágrimas já não rolam mais. Elas pararam de descer por costume da situação e pronto. Melhor assim, eu acho. Porque no dia que acabar, as lágrimas vão ficar no lugar delas. E não vai ser rolando pelo meu rosto.


http://idyllamonteiro.blogspot.com/ me passou um Meme e um selinho, e está aqui:
(Idylla muito obrigada linda! ;* )

Eu quero: Terminar minha faculdade de Direito.
Eu tenho: Dois pirciengs.
Eu gostaria de ter: Menos Ansiedade, menos Ciúme.
Eu gostaria de não ter: Ciúme, Ansiedade. (Pra reforçar !)
Eu acho: Ah, sobre o que?
Eu odeio: Falar a mesma coisa várias vezes, ouvir a mesma coisa várias vezes. ( Menos música. )
Eu sinto saudades: Das minhas amigas ( Licia, Carol, Cla ), da minha infância, namorado.
Eu faço: Karatê Shorin - Ryu.
Eu fiz e não faria de novo: Orra! Muuuuitas coisas.
Eu fazia e deixei de fazer: Hummm ?
Eu escuto: De tudo.
Eu cheiro: Minha cachorra, meu namorado, meu cabelo, minhas amigas ( Amo cheirar ! )
Eu imploro: Não imploro.
Eu me pergunto: Como vou estar daqui 20 anos?
Eu arrependo: Aaah, esquece vai.
Eu amo: POUQUÍSSIMAS pessoas.
Eu sinto dor: Não quero responder essa.
Eu sinto falta: Váriiiiiiiias.
Eu sempre: Penso no futuro.
Eu não fico: ?
Eu acredito: Em Deus, meu Rei.
Eu danço: De tudo. Menos rap.
Eu canto: Em todos lugares.
Eu choro: Dificilmente choro. Só choro fácil quando se trata de assuntos de mim e do meu namorado.
Eu falho: Fuck.
Eu luto: Karatê.
Eu escrevo: e AMO!
Eu ganho: ?
Eu perco: ?
Eu estou: PUTA DA VIDA.
Eu sou: Estranha. Incostante. Infantil.
Eu fico feliz: Com pouca merda.
Eu tenho esperança: Em passar no concurso de Promotoria.
Eu preciso: De Deus, família, amigas.
Eu deveria: Taaanta coisa.
O Selo:


junho 18, 2008

Um pouco de mim e Dele

Sabe aqueles dias que você está atrasado, coloca qualquer roupa e sai parecendo um louco de casa? Seu cabelo está péssimo, você está irritado, e somente o que pegou na correria foi o celular? Foi num dia desses que eu o conheci. Conhecer, conhecer eu já conhecia. Fazia algum tempo que trocávamos conversas no msn, e telefonemas, tinhamos amigos em comum também, inclusive uma das minhas melhores amigas, porém eu nunca tinha o visto. E eu estava lá, com mais duas amigas dentro da sala do cinema, à espera de ver um filme de terror temos-pouca-grana-para-produzir-o-filme-e-nossos-efeitos-são-horríveis-ok, quando eu vi um garoto muito alto, hoje eu digo especificamente, com um metro e noventa e dois centímetros. O garoto sorria e falava alto, covinhas apareciam sobre suas buchechas, algo nele me era familiar. Foi então que espantada e eufórica cutuquei minha amiga:

- Cla, é ele!

- Ele quem, T?

- ELE! E-L-E!

- Meu Deus! É ele mesmo!

- Oque eu faço? Oque eu faço? * Abanando *

- Calma, vamos fazer assim, vou ligar no celular dele e perguntar aonde ele está.

- Certo. - disse eu louca de vergonha, e com o estômago já revirado. " Carolzinha, acho que vou vomitar. "

Clarissa digita o número, e um outro celular toca alto na sala do cinema, "shius" e "desliga essa porra "são ditos várias vezes. O garoto atende. ELE atende. Posso ouvir a pergunta da minha amiga, e a resposta DELE.

- Kabunn?

- Sim, quem é?

- É a Cla...

- Oiii Cla, tudo bem?

- Tudo sim. Viu Kabunn, você tá aonde?

- Cara, eu tô dentro da sala do cinema, pra ver "Água Negra".

Meu coração dispara, começo a tremer, " Carolzinha, vou vomitar MESMO."

- Porque Cla?

- Ah, olha o lado.

Ele olha.

- Nãããão, pro outro lado.

- Ah * acenando *, oooi, caramba...

Eu queria morrer, sério. Juro por Deus. Naquele momento daria minha vida pra sumir dali. Cara,eu tava péssima! Sem contar que eu era adolescente ainda sabe? ( Não me considero adulta também tá, mas é o que diz meu rg ). Aquelas preocupada com a aparência e tal do tipo " eu tenho que estar linda ". ( Sinceramente hoje, eu quero que se foda, quem gostou, gostou, quem não gostou, gostasse. Não que eu não me arrume, mas...). Ele cumprimentou a gente. Cla, T, e Carolzinha. Eu estava vermelha do tipo vou-explodir-a-qualquer-momento. Pediu para que Cla pulasse uma poltrona de modo para que ele ficasse ao meu lado. Permaneci dura o filme todo. Caladinha. E quando ele pegou na minha mão então? Sem reações. Eu não costumava ser assim. Àlias nunca fui. Àlias2 odeio quem é. Mas eu simplismente não conseguia. Eu gostava dele, cara. Eu estava péssima! Era o pior dia, o pior filme, a pior roupa, e pior dos piorescabelos, sem contar que ele era: desinibido, engraçado e popular.Pffffffffffffffff. O filme se seguiu torturante. Eu sem reação e calada o tempo todo. Ele até que tentava puxar assunto, mas eu era curta nas respostas, as quais eram ditas quase sem respirar. O filme era de terror, e eu morro de medo de filmes de terror, mas nada, nadinha do filme me assustou, mais do que aquilo tudo.Filme terminando. * Graças a Deus *. Cada um seguindo para um lado. Lembro que lamentei dias pela minha atuação no dia que o conheci. Achei que ele nunca mais queriria falar comigo, e que me taxaria de idiota para todo mundo. Sem contar que naquela época ele me poupava elogios (coisa que ele não faz hoje), e eu fiquei sem saber quatro anos se ele tinha me achado bonita ou não. Trágico né gente? Tá bom, tá bom. Analisando hoje eu nem acho tão trágico não. Mas é que na época eu quase morri, juro! ju - ro! juuuuuro! Ainda bem que não me preocupo mais com essas coisas pequenas, sabe? Tão banais. Ai deus, acho que este foi o post mais pessoal e sem graça que já coloquei, já estou até me arrependendo de apertar o " Publicar Postagem". Sei lá, deu vontade. Fiquem bem, e falarei de assuntos mais importantes nos próximos posts ok? Beijo.

junho 16, 2008

Desse jeito

Eu devo ter te esquecido em alguma das minhas fantasias. Porque sabe, está tudo tão diferente.Quando você passa meu coração já não dispara mais. Minhas mãos já não suam quando você fala comigo, e eu nem ao menos paro bobo no seu sorriso.Te ver falando com outros garotos, não me dá ciúmes e eu às vezes chego até rir do seu jeito de pegar neles querendo me fazer sentir mal. Eu gosto de ficar com você garota, gosto de como você me bota no colo ou do modo como você sorri para mim quando eu canto pra você aquela música. Mas nem aquela música tem mais graça. Ela para mim, ficou tão banal, tão enjoativa, tão chata. Até quando você vem balançando sorridente seus cabelos pretos e cheirosos não me dá mais aquele solavanco no estômago. Por deus, aquilo me fazia delirar! Eu realmente devo ter te esquecido em alguma das minhas fantasias, e sinceramente, é bem melhor assim. Eu não tô pra me apaixonar não, garota. Ainda mais por você.

junho 15, 2008

Seguinte pessoal, eu sou difícil de gostar de algum blogger. Se eu disse que gostei do teu foi porque eu realmente gostei. Acho que elogios sinceros não são pra serem jogados fora, e que elogios falsos não são nem pra serem ditos.
Enfim, eu fiz um presentinho ( tosco ok? ) e vou presentear meus bloggers favoritos. Eu sei que não é muita coisa mas acho que vocês merecem.

Eis o presente:

















Eis os presenteados:

http://pensamentos-e-realidades.blogspot.com/
http://neegaa.blogspot.com/
http://maucamus.blogspot.com/
http://shelha.blogspot.com/
http://colica-mental.blogspot.com/
http://dreadluc.blogspot.com/
http://msbatataquente.blogspot.com/

Se eu esqueci de algum eu presenteio depois ok?
Beijos

junho 12, 2008

A Menina

Dizem por aí que sinos imaginários tocam em volta da nossa cabeça quando conhecemos pessoas especiais, mas com a Menina não foi assim. Ela era esquisita e, como toda pessoa esquisita, ela agia e reagia de forma esquisita. Pois bem, embora fosse dia de festa e o salão estivesse todo decorado eabarrotado de gente, ela mesmo estando esquesitamente bonita, permanecia quietinha num canto simplismente porque era esquisita e pessoas esquisitas geralmente agem assim em festas, como se fossem um patinho feio de penetra no banquete dos cisnes. Tudo corria dentro do previsto e ela encenava seu papel de esquisita com toda a convicção do mundo. De repente, a coisa desandou. O Menino a olhou ali naquele canto com aquela cara de esquisita e com aquelas sardas esquesitas e esquesitamente gostou do que viu. Se aproximou dela devagarinho .Quando ela menos esperava, ele a pegou em pela mão e mais hora, menos hora ambos rodopiavam pelo salão. Entre assustada e eufórica, ela foi deixando cair a máscara de esquisita nos braços do Menino, que depois nem a achou tão esquesita assim. Sem que ela pudesse perceber seus lábios tocaram os lábios dele. Como era gostoso e esquesito aquele negócio de línguas e lábios. No dia seguinte, a cartela de Tylenol reluzia em cima da cabeceira, da Menina esquesita. Não se ouvia os tais sinos, nem chacoalhos, nada de violino ao fundo e nem sirene de ambulância dava sinal de alerta. Estava tão encantada com o Menino que só o fato de lembrar da sua existência já a deixava com dor de cabeça e com o estômago reviado. Ela era esquisita e, como toda pessoa esquisita, ela agia e reagia de forma esquisita. Onde já se viu passar dias e dias com dor de cabeça de felicidade?

Ps: Me basiei em um texto anônimo e sem título para escrever esse.

Ps2: Venho, agradecer à Vinicius Aguiar (http://pensamentos-e-realidades.blogspot.com/), pelos presentes que me foram dados. Fiquei muito feliz, e muito honrada. Mesmo. Em breve passarei esses presentes a diante.


















junho 09, 2008

A solução dos meus (talvez dos nossos [?]) problemas !

Desde o começo pensei em não usar este blog, como válvula de escape. Simplismente eu colocaria meus textos e só. Nada pessoal. Mas eu não havia percebido que uma das coisas mais pessoais da nossa vida é a escrita. E hoje eu venho usar este blog, definitivamente como válvula de escape. Alguns vão achar ridículo meus pensamentos, outros não vão nem se importar. Mas na realidade, como todo o respeito, eu não me importo. Eu estou escrevendo mesmo para extravasar, então uma vez que esse texto for postado eu o fiz, independente dos comentários.

Hoje venho dizer sobre o ciúme excessivo. Seria o ciúme uma falta de confiança ou segurança? Olha, já pensei séculos sobre isso e não cheguei a uma conclusão. Por um lado sim, sabe? Você quer guardar tanto aquela coisapessoa, do tipo de colocá - lá numa caixinha, porque tem medo que a tirem de você, ou que ela mesma se tire de você. Mas por outro lado ' Quem ama cuida '. Então vai saber né? Não tenho opinião formada sobre tal assunto que de tão simples que parece é muito complexo. Porém pra toda essa insegurança e ciumera, eu achei uma solução! Já venho analisando - a há um tempo, e pra mim ela parece realmente boa.

É a que adotarei pra minha vida. Podem achar idiota, ou sem sentido. Mas em alguns pontos vem me ajudando, e dando certo. Óbvio que tem efeitos colaterais. E fortes ainda. Do tipo destrutivos. Mas toda solução tem sua consequência, seja ela boa ou ruim. Como diz uma garota que eu conhecia ontem: ' Um probreminha sempre dá né? '.

A solução é: NÃO SE IMPORTE. Calma! Vou explicar! Parece simples né? Ou não. Vou dar um exemplo: você vê lá seu garoto, conversando animadamente com uma garota bem bonita (para alguns isso é normal, para mim, ciumenta excessiva - acho que isso é doença ok? - é muito ruim ), então você vê os dois conversando e tal, animadamente. Sabe o que você faz? Não se importa. Chega até eles, dá um selinho nele, cumprimenta a moça e sai. Pronto. Resolvido. Tá ok. Você não vai poder fazer isso fervendo de raiva né? Você tem que realmente estar com o coração livre, e não se importando! Mas isso é um exercício. Quanto mais você praticar, mais certo dá. Eu estou começando a usar e recomendo.

Vou falar agora dos efeitos colaterais: A morte. Sim senhores! Sem dramas, nem nada. A morte é o efeito colateral, sabe porque? Porque OU você se mata, tentando sempre e sempre não se importar e sofrendo calada, ou você mata o seu relacionamento, no qual, o garoto vai achar que você não gosta mais dele, porque diabos, você não se importa mais! Ou ainda, você mata os dois novamente, pelo fato de ter conseguido aplicar tão bem esse exercício que você não se importa mais mesmo, de verdade, com o que ele anda fazendo. E o término da relação é somente um dia ruim pra você, porque CARALHO você não se importa mais!! Enfim, os efeitos são péssimos ao meu ver. Mas eu cansei amigos. Cansei de infernizar vidas por causa do meu ciúmes, e sobre tudo enfernizar a minha vida! Vou adotando esse método sempre esperando o pior, não, não sou pessimista. É que eu sempre fui otimista e nunca deu certo. E pra variar: Cansei.

junho 05, 2008

Secretária - Eletrônica

19:35 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Ei, aqui é a Lea, e, e, você é um grosso. Precisava me tratar desse jeito? Precisava? Outra vez você tá me trocando pelos seus amigos! De novo! A gente só se vê dois dias por semana e ainda você quer vê - los no domingo. Egoísta! Você vê eles na faculdade, todos os dias! E ainda tem coragem de dizer que me ama! Vai vendo! Não me diz 'eu te amo' se é da boca pra fora! Tchau.

19:52 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Ei, não vai me ligar de volta é? Não vai? Ok então. Parabéns pra você! Ótimo jeito de afundar nosso namoro! Parabéns viu Lucas?

20:30 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Viu mô, é a Lea de novo. Eu, hum amo você. É que eu tô insegura sabe? Você me trocando desse jeito. Mas eu, é que eu tenho que entender. Enfim, ai que saco. Eu amo você ok? Fui. Boa noite. Beijo

20:39 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Ei, Lucas, pelo menos eu digo eu te amo sincero ok? Você diz por dó, que porra! Do mesmo jeito te amo.

20:47 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Ei Lu, você tá comigo por dó, só pode cara. Você não me ama de modo algum, só pode! Me trocar assim? MEU, A GENTE SE VÊ DOIS DIAS POR SEMANA! E você ainda quer ocupar o outro dia com amigos? Pelo amor de Deus! Que falta de amor cara. Se você tá comigo por dó, termina por favor! Segue sua vida. Não quero atrapalhar.

21:12 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Tipo Lu, pensa com carinho na gente ok? Não quero atrapalhar você e tal, mas eu amo você. Pensa direitinho.

21:40 Oi, aqui é o Lucas, não estou em casa nesse momento. Deixe seu recado após o sinal:

Nossa cara. Tô sofrendo demais Lucas. Parece que essa dor nunca vai passar.

Ele chega e vê a luz da secretária piscando.

" Você tem 7 mensagens de voz do número 91201900. Repitindo: 91201900. Para escutá - las aperte o botão vermelho. Para escutá - las aperte o botão vermelho. Para deletá - las aperte o botão azul. Para deletá - las aperte o botão azul."

Azul.

E ele exclama: " Idiota. "

Ps: Não deixem de ler o conto aí embaixo ' Anchut '. É bem legal, modéstia parte.

junho 03, 2008

Anchut

Era raro termos água para beber, ou algum animal para comer. Álias para minha tribo animais eram sagrados, comê - los era uma total falta de respeito. Porém quando não restava outra opção o faziamos. Já fazia muito tempo que estavamos caminhando debaixo do sol quente do deserto, os meus pés estavam cheios de bolhas e sangrando de modo que eu deixava meu rastro na areia. Porém todos caminhavam calados a procura de uma árvore para podermos sentar e descançar um pouco. Eu estava faminta. Não tinha comido desde o dia anterior.

Naquele dia somente meus irmãos menores tinham se alimentado, pois tinhamos pouco leite e quando isso acontecia eram eles os favorecidos. Um dos favorecidos nesse dia foi um dos meus irmãos menores. Anchut. O mais clarinhos entre os morenos. Dos olhos mais bonitos. Muito esperto. Ele era meu preferido.Quando eu precisava sair para procurar alimento com ordem do meu pai era ele que eu chamava para me fazer companhia. E ele ia comigo a todos os lugares sem reclamar. Às vezes ele sentava na areia e começava a bater nos pezinhos e choramingar, tentando explicar que estavam queimando. Anchut não sabia falar. Então eu o colocava sobre meus ombros. E ele ia o caminho todo alisando meus cabelos como sinal de agradecimento.


Então certa manhã, mamãe nos acordou mais cedo. Ela nos disse que pelo posicionamento do sol achava que aquele dia era aniversário de Anchut. Anchut ficou todo feliz, batia palmas e depois erguia as mãozinhas no ar. Não era todo dia que se fazia 4 anos. E ainda, em dia de aniversário o aniversariante sempre comia toda a comida sozinho. O resto da família não reclamava. Chegaria nossa vez. Na hora da sesta, Anchut sentou - se todo feliz esperando anciosamente seu presente. Meu pai conseguiu encontrar uma cobra um tanto quanto pequena, porém mataria sua fome. Anchut não precisaria comer nem a noite. Devorou - a todo feliz. O resto da família ficou deitada tentando dormir para esquecer a fome. Anchut então foi até mim e me cutucou. Eu olhei para ele e ele abriu a mãozinha minúscula. Ele guardara um pedaço do seu presente para mim. Fiquei tão feliz que mal pude me conter. Agarrei - o e fazia cócegas em sua barriga. Ele adorava isso. Porém não me alimentei. Insisti para que ele comesse, afinal era seu presente de aniversário. Ele tentou enfiar o pedaço da cobraem minha boca, mas eu não comi. Chamei a atenção dele falando que tinha adorado a sua atitude porém era aniversário dele e eu não comeria sequer um pedaço do seu alimento. Ele então meio decepcionado enfiou o resto na boquinha. Eu estava muito feliz. Eu era a favorita de Anchut como ele era o meu. Anchut se deitou do meu lado para descansar também.


Ao anoitecer meu pai me acordou me mandando encontrar um pouco de comida para a manhã do dia seguinte. Eu não fiquei brava com ele. Eu era a mais velha, estava acostumada a isso. Cutuquei Anchut e pedi para ele ir comigo. Sem hesitar ele se levantou e grudou no meu manto. E começou a caminhada na escuridão. Porém Anchut estava estranho. Ele andava vagarosamente e estava um pouco gelado. Disse a ele se ele queria meu manto. Mas ele fez que não com a pequena cabecinha. Continuei andando, e Anchut andava tão lento que quando eu percebia ele estava muito atrás de mim. Coloquei - o em meus ombros e dessa vez ele não alisou meus cabelos, somente se deitou em cima da minha cabeça. De repente algo líquido começou escorrer pelos meus ombros, Anchut tinha vomitado em mim. Fiquei muito preocupada, mas cheguei até a raiar com ele dizendo que ele poderia ter virado a cabeça para vomitar. Quando achei uma claridade percebi, para o meu maior desespero, que Anchut tinha vomitado sangue. Muito sangue. Desperada tirei Anchut dos meus ombros e coloquei - o deitado na areia. Tirei meu manto e o cobri. E lhe jurei algumas palavras: ' Anchut, preciso achar algo para amanhã. Se eu voltar sem comida para tribo, papai nos bate. Vou correndo Anchut, te prometo. Voltarei muito rápido. Te prometo pequeno '.


Sai correndo então a procura de algo para comer, corri muito, corria tão desesperadamente que às vezes eu reparava que estava correndo em círculos. Graças a deus achei um pequeno pedaço de um viado que os leões ficaram com preguiça de devorar. Corri o mais rápido que pude de volta até Anchut. Quando cheguei, puxei - o pelo bracinho, ' Anchut, venha, achei algo. Vamos embora. Mamãe vai cuidar de você. ' Porém ele não se moveu. ' Anchut, venha '. Não se moveu de novo. Anchut estava gelado. Estava morto. Comecei chorar, a me bater, eu queria morrer. Com certeza ele comera uma cobra envenenada. Não era a primeira vez que isso acontecia na minha família. Mas Anchut? O MEU Anchut? Anchut era muito esperto. Muito forte. Abracei o corpo do meu irmãozinho e comecei a "orar" pedindo que me o diabo me levasse. Queria ir para o inferno por ter o abandonado. Eu merecia maldição eterna. Entre choros e desespero, começou a me surgir pensamentos. Será que Anchut sabia que a cobra que ele comera era venenosa? Guardara um pedaço para mim, para levar sua favorita com ele? Entretanto, eu nunca desejava as coisas. Não tinha desejos, nem sonhos, na verdade, nem sabia direito o que era isso. Seja lá o que for, eu nunca "desejei" tanto como naquela hora, ter aceitado o presente do meu favorito.




Conto baseado no Livro ' A Flor do Deserto '. -> Recomendo!

junho 02, 2008

Better Together?


Uma xícara de café e uma de cappucino ao meio, um cigarro aceso no cinzeiro, quatro mãos que matavam a saudade, dois sentimentos distintos.
Ele suspirou:
- Eu gosto tanto de você.
Ela abaixou a cabeça.
- Não é o que parece.
- Eu sei – concordou ele abaixando a voz – fiz coisas que não são dignas de perdão.
- Você não sabe tudo o que tenho passado Mateus. Você não tem idéia de como estou. Estava tudo tão bem, por que tinha de pedir pra me ver?
- Cristina, não estava nada bem. Não está nada bem – disse ele – não sente nem um pouco minha falta?
Ela olhou – o nos olhos pela primeira vez naquele dia, suspirou tristemente e ficou em silêncio por alguns segundos.
- E como sinto. – finalmente falou.
Ele sentiu um alívio por dentro.
- Meu amor, você não tem idéia de como eu sinto tua falta, teu cheiro, teu toque, se lembra de quando...
Ela imediatamente desviou o olhar, não queria se lembrar, nem dos bons momentos, nem dos maus. Tentou prestar atenção em outras coisas enquanto ele relembrava o que passaram juntos. Uma bolsa vermelha, um sino. Da onde será esse sino? Será da igreja? Já são seis horas? Meu Deus! . do livro de suspense que estava lendo. Será Tracy a maior suspeita mesmo? Não sei, Michael me parece tão esquisito! E de repente percebeu que ele já havia parado de falar.
- Me ouviu Cris?
- Ahn – exclamou ela despertando - se do devaneio – claro, claro.
- No que pensava? – Perguntou ele curioso.
Você não se lembra que eu não gosto desse tipo de pergunta?
- É (pausa), pensava no dia em que nos conhecemos – mentiu ela.
- Foi bom, não é mesmo?
- Foram sim.(Pausa). Mateus, posso te perguntar algo?
- É claro.
- Me ama de verdade?
- Sim – respondeu ele sem hesitação.
- E por quê?
Ele parou. Pensou. Por que a amava? Não era por causa do seu belo rosto, não era por causa do seu dinheiro, mas porque então? Nenhum motivo vinha em sua cabeça. Ele só sabia que a amava. A moça decepcionada já havia levantado e ia em direção à porta do pub.
- Espera Cris ! Por favor, espera – disse tomando – a pela mão. Cristina, antes de qualquer coisa, deixe – me falar.
- Não temos mais o que conversar Mateus. - Disse a moça impaciente.
- Cristina – disse ele fingindo não ouvir o que ela dissera - por tudo que eu te fiz eu te peço perdão, eu sei, não é fácil, mas Cris eu não posso viver sem você, você é a pessoa mais especial que eu já conheci, é com você que eu quero passar o resto dos meus dias, é você a pessoa que eu quero que seja a mãe dos meus filhos, volta pra mim?
Ela olhou pra ele. Recordou brevemente e agora de verdade, o dia feliz em que se conheceram ( e como gostaram um do outro! ), mas logo se recordou dos últimos meses. Desvencilhou - se dele, pegou alguns trocados na carteira e colocou sobre a mesa.
- Cristina...
- Mateus.
Ele calou - se. Ela beijou – o na testa e saiu da cafeteria. Saiu para uma tarde fria e sem sol, do mesmo modo que ela sabia que seriam seus próximos dias, até meses ( quem sabe anos? ). Do lado de fora, abriu a bolsa, apanhou um cigarro, acendeu – o, aumentou o passo e seguiu seu caminho. O outro estava em casa, esperando por ela. Ela chegou, abriu à porta, ele recebeu – a com um sorriso.
- Oi meu amor.
- Olá Tiago. (Pausa). Tiago posso te perguntar algo?
- Pode sim querida. – Respondeu ele prontamente.
- Me ama de verdade?
- Claro, meu amor.
- E por que me ama?
E este, ao contrário do outro, incansavelmente enumerou milhões de motivos. Mas para infelicidade dela, esse não a amava, e ela sabia disso. Foi para o quarto e deitou – se do jeito que estava. Tentaria dormir o mais rápido possível. Estava certa que deixara na cafeteria o verdadeiro amor da sua vida,
Ou Não.

maio 30, 2008

The world gives turns.

E quando você veio com aquele papo de que me amava, eu não aguentei. Ri demais da sua cara. Oi? Como assim? Você me amando? Me poupe. O máximo que fiz foi te dar um fora e te dizer que eu não queria mais sua amizade. Então você veio com aquela conversa de deixar pra lá, tentando me convencer a ficar. Você realmente não queria me perder. Mas eu não cedi. Até que você desistiu e começou a conversar comigo de outras coisas, senão "nós". Portanto eu havia me cansado e me afastei de você. Pronto. Um a menos. Mas foi estranho. Algo nas minhas noites estava fazendo falta. Pensei dias no que seria. Até que deu saudade. Saudade de você. Como se nada tivesse acontecido voltamos a nos falar. O papo agora era outro. Música, Ciências Exatas,Viajens, Filmes, Seu dia, Nosso dia. Chegamos a sair com a galera várias vezes, conversando como se você não tivesse se declarado, como se você nunca tivesse tocado naquele assunto. E foi ai que tudo começou a mudar. Comecei a perceber que talvez eu gostasse da idéia de te ter só pra mim. Eu já não conseguia não entrar no msn nem que fosse um minuto para te dizer um oi. E quando eu dei por mim eu não só tinha que ler seu oi no msn, como escutar sua voz no telefone, desejando que eu dormisse bem. Então eu ia dormir com um sorriso enorme. Eu estava me apaixonando por você. Você me agradava. Me fazia muito bem. Se preocupava comigo. Me divertia. Além de tudo era meu amigo. Foi quando marcamos outra saída com a galera. Eu ia me declarar sabe? Ia te contar tudo. Já tinha ensaido milhões de vezes em frente ao espelho. Eu ia dizer que o que você tanto queria, você tinha conseguido. Meu coração era seu. E quando você chegou eu praticamente sai correndo para te cumprimentar, o único problema é que eu tive que cumprimentar também a loira alta que te acompanhava. E como acompanhava! Até agora não sei como suportei os beijinhos e abracinhos que vocês trocavam toda hora. Mas isso não foi nada perto da hora em que ela levantou da mesa, entre pessoas, copos e pizzas e resolveu brindar com todos o começo do namoro dela com você. Sabe, isso ainda não é nada. A questão maior é que sempre me disseram que o mundo dava voltas. Que quem pisa é pisado. Quem chuta é chutado. Nunca acreditei nisso. Não mesmo. Até acontecer comigo. PS: Queridos Primeiro: Quero agradecer à todos vocês que vem comentando no meu blog e/ou me elogiando. Muito obrigada! Segundo: A demora da atualização é devido à correria que anda minha vida. Venho estudando e trabalhando muito. E esses fatores somados a minha falta de inspiração atual resultam num blog dias e dias sem atualização. Terceiro: Algumas pessoas vem me perguntando se meus posts são verídicos, se aconteceram comigo. E a resposta: Alguns. A maioria das histórias, como essa aqui emcima, são histórias que tiro da minha cabeça oca. Agora, pouquíssimas são fatos que aconteceram comigo, ou momentos que estou passando. Quatro: Amor, amo você. Que saudade! Beijo :*
 

Blog Template by YummyLolly.com - Photoshop Brushes Obsidian Dawn