junho 23, 2008

Bisavó do Funk

Hoje assistindo um programa de tv (o qual eu não vou citar o nome, pois é um programa PÉSSIMO, e não vou dar ibope para tal), vi uma tal de Bisavó do Funk. A mulher já era bisavó e estava em ótimas condições físicas para sua idade. Ela cantava funks depravados do tipo "quer passar a mão, pode passar. A mão, a mão, no mamão." Logo que vi aquela cena, comecei a rir e fiquei até com raiva, pensei coisas do tipo "Meu Deus,essa mulher deveria se por no seu lugar". Foi aí que algo dentro de mim falou mais alto. Peraí, qual é o lugar dela? O lugar dela é se sentar, tricotar, ir a missa, e fazer bolo, para os netos e bisnetos? Me senti totalmente pra baixo e corrompida pela sociedade em que nós vivemos.Uma sociedade que adora por rótulos, e estabelecer padrões. Será que essa tal de Bisavó do Funk, seria feliz, como ela demonstrou ser no programa, tricotando cachecóis? Portanto, eu estou com ela e não abro, o importante é ser feliz! Dane - se o que a sociedade acha! Dane - se que a sociedade pregue que uma bisavó de 60 e poucos anos tenha que ir na missa, e sentar com os netos tomar o chá da tarde. Por favor! Deixe que ela quebre os padrões, deixe que ela VIVA, deixe que ela seja FELIZ!Ainda me sinto rídicula por ter me deixado influenciar por essa sociedade tosca em que vivemos. E olha que ela influencia tanto na vida das pessoas que eu mesma pensei algo, sem que eu pudesse perceber. Se você acha tosco uma mulher sendo feliz aos 60 anos dançando e cantando funk, o problema é seu. Só pense bem, qual é o motivorazão pelo qual você acha isso. Tenha opinião própria por favor. Ir conforme a onda leva, é uó. Prontofalei.

13 opiniões:

Dama de Cinzas disse...

Gostei da sua sinceridade! É assim mesmo, a sociedade coloca umas besteiras na nossa cabeça e cabe a nós contestar tudo isso, pra isso temos inteligência e bom senso.

Viva a vovó do funk... ehehe!

Beijos

Jhow Carvalho disse...

Olá como vai?Sabe eu assisti esse programa e vi também essa mulher, E TAMBÉM TIVE ESSA mesma dúvida e fiz esse questinamento e cheguei a conclusão que essa bisavó funkeira tive atitude suficente pra ser feliz,sem se importar com o que os outros pensam e essa é a coisa certa ser feliz do seu jeito.

Beijos...

Ricardo Valente disse...

Minha tezinha, você tem um dom que poucos têm. Enxergar além da bruma, além disso tudo que foi servido. Beijo, minha linda (?) Nem te conheço, meu!!!

Carol Garcia disse...

ah assa frase que você grido DEIXA QUE SEJA FELIZ ;
ahh ^^ sei la mais to precisando disso !

Dayane disse...

O importante é ser feliz e ponto!
Ai querida,eu gostaria muito de responder o meme se ele já não estivesse respondido,rsrsrs.Fiz ele esses dias,ta la no blog ainda ^^.Mas vlw =*.

♥ Ca ♥ disse...

hahaha primeiro... QUE QUE TEM A VOVÓ DANÇAR FUNCK?? sçdlfjaspdoiru eu serei uma vózinha dançando eu acho hahahaha (que horror)
Segundo. FICOU L.I.N.D.O a nova cara do blog!!!!
Terceiro... LOGO A CONTINUAÇÃO ESTARÁ LÁ hahaha
e por ultimo... me preucupo sim pq eu acho voce gente boa! =]
Gosto de me preucupar com pessoas legais! ...
beijoo

Patrícia disse...

Concordo plenamente...
A sociedade tem uma mania feia de rotular as pessoas e impor regras!
A vovó é feliz dançando funk, que bom! Antes feliz e dançando funk do que ser um numero a mais nas estatisticas de idosos mal atendidos nos hospitais, ou então um idoso a mais abandonado pela familia em um asilo...
Vamos ser feliz sem pensar o que vão achar disso, apenas ser feliz!!!
Beijos

Mau Camus disse...

Foi o feriado que me fez sumir, linda. Realmente é difícil questionarmos padrões. Quanto a vovó cantar e dançar funk: eu respeito a liberdade, mas, não curto o mau gosto das letras. rsrsrs
Sempre bom te ler, misteriosa t.
Bjos

Carlos Howes disse...

Interessante teu post! Isso acontece conosco algumas vezes! Tenho pavor de preconceito, e tento reprimí-lo a todo custo, mas às vezes nos pegamos involuntariamente praticando pensamentos preconceituosos e de julgamento, não por maldade, mas por costumes sociais.

Acho que cada um tem direito a ser feliz a sua maneira, e não existe um padrão certo de felicidade, que as pessoas devam seguir de acordo com seu sexo, cor, idade ou local que vivem!

Então, VIVA A VOVÓ do FUNK!

Mustafa Şenalp disse...

hi
çok güzel site. :)

Nataliinha disse...

Tá, pode ser ridiculo não ela cantando funk apesar da idade, mas a letra não é ?

Ah, e deve ter sido o programa da Sonia Abrãao . Só ela q mostra essas coisas.

E viva a bisavó do funk !

Bjs!

Henrique disse...

Não é um programa pessimo, pois consiguiu prender até você que diz não gostar do programa...

Segunda preste atenção antes de falar de alguma coisa, a Letra da Música não era assim...era muito diferente dessa que você postou...

Premiro verifique antes de postar e criticar os outros, e olhe no seus proprios defeitos também, que conserteza não deve ser poucos, pois todo mundo tem defeito.


Ok...

Luh disse...

Olá! Eu sou sobrinha neta da tal Bisavó do Funk, e posso dizer algumas coisas a respeito dela.

Primeiro que é uma pessoa deslumbrada com a vida, apesar da enorme dificuldade financeira que passa. É extremamente humilde mas jamais se privou de ser feliz. Criou seus filhos, os filhos dos outros, os netos e bisnetos e nunca lhes faltou nada no que diz respeito da moral e dos bons costumes. (o lance da filha não gostar é farsa imposta pelo programa)

Aquela lá é sua personagem. É sua forma de escapar de uma realidade difícil, de rir e fazer rir, pq ela tem, assim como todos nós o senso do ridículo e do deplorável, mas é aquilo que lhe faz feliz.

Eu a vejo com pouca freqüência mas faço questão de lhe prestigiar pq é dessa forma que ela consegue trazer pra sua realidade de dificuldades, a felicidade.

P.S.: como toda boa bisavó (e tia-avó, como é meu caso) ela faz bons quitutes e é prendada com sua costura e bordados. Portanto, ela é além da bisavó-estrela, uma bisavó exemplo.

 

Blog Template by YummyLolly.com - Photoshop Brushes Obsidian Dawn