fevereiro 24, 2009

Passando rapidinho.

Eu sou a palavra cuspida, que quase sempre se arrepende. Sou a calmaria estranha no meio da explosão. Explosão. Explosão. Por deus, da onde se tira tanta instabilidade? Tanta força, que quando se vê está abaixo do chão? Sou a dúvida, a segurança e a insegurança. Branco e Preto. Claro e escuro. Sou aquela que cospe aqui palavras sem sentido, mas que quando relidas (por mim) me ajudam a clarear a cabeça. Sou a que tenta, tenta e tenta, e resolve desistir, mas quando vê, está tentando de novo. Sou algo que ama, mas te deixa ir, pra quem sabe, ser feliz (?). Bem, com certeza você é que não sabe, e eu também já não sei mais (ou talvez nunca soube (?), dúvidas? A única coisa que sei é que sou o frio, e o quente, pena que eu gosto do morno. Por mim. "Perdi alguma coisa que me era essencial, e que já não me é mais. Não me é necessária, assim como se eu tivesse perdido uma terceira perna, que até então, me impossibilitava de andar, mas que fazia de mim um tripé estável. Essa terceira perna, eu perdi. E voltei a ser uma pessoa que nunca fui. Voltei a ter o que nunca tive: apenas as duas pernas. Sei que somente com duas pernas, é que posso caminhar. Mas a ausência inútil da terceira, me faz falta e me assusta, era ela que fazia de mim uma coisa encontrável por mim mesma, e sem sequer precisar me procurar." Por Autor Desconhecido

20 opiniões:

*Raíssa disse...

Gostei do seu texto e do texto de autor desconhecido, mas me identifiquei mais com o seu.

Beijos!

Thiago disse...

gosto do frio. do quente e tambem do que é morno. Tudo depende de como eu esteja e do que eu queira.

são surpresas, atoladas neste sufoco desacabado.

:)

Lorena Portela disse...

gostei do teu.

do teu.

beijo!

Lucas disse...

Dá pra esquentar, esfriar, amornar; tudo depende de.



; )
Lucas

Bruno Soares disse...

uhúúúúu tava com saudades de seus textos!
Que bom que você voltou.Não vai sumir né?

Adoro mtão mtão o seu blog

vc é Dez!

Bjão

=)

.daia. disse...

Noooossa! Adorei esse texto!
Tanto o seu quanto o outro!


*-*

Bjossss querida!

Vinícius Aguiar disse...

Essas contradições interiores, em determinados momentos, parecem ser exatamente o que nos faz viver... parabéns linda, e aparece!
beijos!

Suelyn Morais disse...

Dúvidas nos são apresen tadas com a mesma velocidade que as oportunidades.
Decisões, essas sim demoram...

É sempre bom ter dúvidas, só assim percebemos que o caminho a ser seguido ainda não é o certo, e assim que a dúvida passar por mais que escolhamos o errado,
pensamos;
tentamos;
porém as vezes falhamos...

BeijooooO

As Verdades Esquecidas disse...

eu tb gosto mais do morno... e tb tento, tento, tento, desisto, e só depois percebo que comecei a tentar de novamente... que doido né? (:

Pattiê que fica, disse...

o "autor desconhecido" é clarice lispector...

Mariam disse...

Eh, passando por aqui me identifiquei com o post. Acho que sou assim. As pessoas são iguais no complicado mundo cerebral.. =D

t+

Douglas disse...

vc devia ser compositora ;D

Nataliinha disse...

Suma mais não ouviu ?

Beijoos.

Bioluminescent Heart disse...

Aah, posta mais! adoro seus textos!

Alias, postei mais uns no meu blog, se tiver um tempinho depois lê lá!

Beijoos, e volta!!!

Mary West disse...

O bom é isso mesmo. Sempre ter o controle da temperatura adeqquada para naum sair do ponto.

Junkie careta disse...

Acho que é isso o que chamam de aprender com a experiência... Aprender a ter o controle da temperatura. Parabéns se você conseguiu. Já faz algum tempo que tenho tentado, quase sempre sem muito sucesso...Talvez isso até seja bom. Às vezes pode ser bem interessante não ter controle, só pra se sentir correndo risco, fugindo do conforto um pouco.

Parabéns pelo seu texto.

Otário disse...

EI! Visita-me em Blog-do-Otario

e dá a tua opinião na votação!

BlogDoOtario,
todas as Segundas às 15h15 uma nova rubrica!

Nunca a Segunda soube tão bem!

http://blog-do-otario.blogspot.com

Sara disse...

claro como Clarice..
esse livro dela é tão assustadoramente absorvível e delicioso e intrigante..

Ana disse...

Coisas essenciais não deixam de ser essenciais por uma opção.

Não tem como.

kallani disse...

adorei o teu texto, e também amo esse trecho de clarice, até já postei ele no meu blog também.

 

Blog Template by YummyLolly.com - Photoshop Brushes Obsidian Dawn